Dólar passa a subir frente ao real com movimento pontual de compra e exterior

Publicado em 23/09/2016 11:00 e atualizado em 23/09/2016 12:14
57 exibições

LOGO REUTERS 2.0

Por Claudia Violante

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar abandonou a trajetória de baixa ante o real vista no início da sessão e passou a subir nesta sexta-feira, com movimento pontual de compra de investidores aproveitando as cotações mais atrativas e seguindo o mercado externo.

Às 12:12, o dólar avançava 0,10 por cento, a 3,2290 reais na venda, após bater 3,2025 reais, queda de 0,72 por cento, na mínima da sessão. O dólar futuro tinha alta de cerca de 0,2 por cento.

"Houve uma compra mais pesada e isso fez com que a moeda (norte-americana) passasse a subir", comentou o diretor da assessoria de câmbio FB Capital, Fernando Bergallo, sobre um movimento que também ocorreu no pregão passado.

No exterior, o dólar também subia frente a outras moedas de países emergentes, como os pesos chileno e mexicano.

Apesar da alta nesta sessão, a trajetória do dólar ainda continuava de queda, segundo operadores, diante da perspectiva sobre a política monetária norte-americana, de altas graduais nos juros dos Estados Unidos.

"O fundamento do dólar é para baixo. O Fed (banco central norte-americano) tirou pressão do câmbio. Se resolvermos questão política, aprovação de medidas (fiscais no Brasil), acredito em forte fluxo de entrada de estrangeiros", comentou um operador de um banco nacional. "A alta (do dólar) é pontual", destacou.

Um aumento de juros mais tarde nos Estados Unidos tem potencial para criar uma janela de oportunidade aos países emergentes, como o Brasil, que pagam rendimentos maiores para atrair investidores.

A queda do dólar frente ao real mais cedo também veio após o presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, reforçar a mensagem de que diminuiu o espaço para atuação cambial por meio de swaps.

"Foi positiva a fala do Ilan, sinalizou que o BC não vai agir tão forte no câmbio, o que tira pressão altista sobre a moeda (norte-americana)", disse mais cedo o analista de câmbio da Gradual Investimentos, Marcos Jamelli.

Na noite passada, Ilan reiterou que o espaço para reduzir o estoque de swaps cambiais tem diminuído com a proximidade da normalização das condições monetárias dos Estados Unidos. Em entrevista à Reuters na semana passada, ele já havia dito que o BC enxergava menor espaço para redução do estoque de swaps cambiais tradicionais, equivalentes à venda futura de dólares.

O BC vendeu nesta manhã toda a oferta diária de até 5 mil contratos de swap cambial reverso, equivalentes à compra de dólares no futuro.

 

Fonte Reuters

1 comentário

  • Guilherme Frederico Lamb Assis - SP

    Eu realmente não entendo esses "especialistas" que reiteradamente vem dizendo que o dólar vai cair...., no momento, nenhum fundamento indica isso.... Parece que estão chutando repetidamente na mesma situação, quem sabe em algum momento acertem?! ate relógio quebrado acerta a hora duas vezes ao dia (relógio analógico, para esclarecer)...
    O FED já sinalizou que vai acabar elevando o juros nos EUA na próxima reunião, e isso vai fazer com que o dólar aqui suba.
    Desta vez não subiram, portanto a taxa básica continua entre 0,25 e 0,5% nos EUA.
    Nas próxima reuniões do conselho econômico dos EUA ficou claro os sinais de que haverá alta na taxa básica de juros, um aumento de 0,25 pontos percentuais nesse range pode parecer pouco em numero absoluto, "uma mera alta de 0,25 pontos percentuais"...

    Mas para se ter uma ideia, essa alta nos EUA pode fazer com que a nossa taxa Selic precise ser elevada em 3 pontos percentuais apenas para conter a fuga de capital e manter a concorrência com o juros dos EUA nos atuais patamares.

    Eu não sei como certos analistas não tem vergonha de fazer tanta previsão furada, vem falando que o dólar cairia abaixo de 3 após o impeachment... não caiu... e nem vai cair por razões óbvias. Sem uma mudança drástica nas políticas econômicas e sociais ninguém vai ser louco de investir no Brasil, a não ser em especulação através de títulos do governo.

    Dólar só vai entrar no Brasil sem ser como capital especulativo quando houver mudanças políticas concretas, tanto econômicas como sociais, quando houver segurança jurídica e reforma tributaria, a partir desse momento é possível prever queda do dólar, pois teremos fundamentos para isso.

    Rodrigo Polo Pires postou um novo comentário na notícia Dólar passa a subir frente ao real com movimento pontual de compra e exterior --
    Concordo Billy, e essa alta de dezembro vai ser o inicio de uma série de pequenos aumentos, a situação do Brasil é bem pior do que dizem. Vem chumbo grosso por aí, não sei se só 3% de aumento da Selic vai resolver, com 14,5% a economia estagnada e inflação ainda alta. São dois cenários, para mim o governo deixa a inflação alta com câmbio desvalorizado ou dá uma paulada nos juros e leva o dólar para 2,8, isso é sim possível. Infelizmente são cenários que poucos produtores estão dispostos a discutir.

    0
    • RODRIGO POLO PIRESBALNEÁRIO CAMBORIÚ - SC

      Concordo Billy e essa alta de dezembro vai ser o inicio de uma série de pequenos aumentos, a situação do Brasil é bem pior do que dizem. Vem chumbo grosso por aí, não sei se só 3% de aumento da Selic vai resolver, com 14,5% a economia estagnada e inflação ainda alta. São dois cenários, para mim o governo deixa a inflação alta com câmbio desvalorizado ou dá uma paulada nos juros e leva o dólar para 2,8, isso é sim possível. Infelizmente são cenários que poucos produtores estão dispostos a discutir.

      1