Bolsonaro ganha em 16 Estados e no DF; Nordeste garante 2º turno

Publicado em 07/10/2018 23:25 e atualizado em 08/10/2018 09:28
1657 exibições
Resultado quebra polarização entre PT e PSDB na eleição presidencial, diz Estadão

O candidato do PSL, Jair Bolsonaro, é o mais votado em 16 Estados e no Distrito Federal. O capitão reformado do Exército só ficou atrás de Fernando Haddad (PT) nos oito Estados do Nordeste - em Caetés (PE), onde Lula nasceu, Haddad bateu Bolsonaro comampla diferença - e no Pará. Ciro Gomes (PDT), por sua vez, liderou a disputa no Ceará, seu berço político.

Bolsonaro e Haddad disputam a Presidência pela primeira vez e foram os dois mais votados entre os 13 postulantes ao Palácio do Planalto. O resultado do primeiro turno quebrou a polarização entre PT e PSDB na eleição presidencial. Nas últimas seis eleições, houve duas vitórias do PSDB (1994 e 1998) e quatro do PT (2002, 2006, 2010 e 2014).

O Estado em que Bolsonaro teve vitória mais acachapante foi Santa Catarina, onde ficou na casa dos 65%, contra 15% de Haddad. O petista, por sua vez, dominou com maior diferença no Piauí, com 62% dos votos válidos ante 19% do candidato do PSL. No Ceará, Ciro obteve 41% e venceu Haddad, que pontuou 32%. 

Minas Gerais, Estado conhecido politicamente por ser representativo do Brasil — com um Norte pobre e um Sul rico —, espelhou quase que de modo idêntico a disputa em âmbito nacional. Lá, Bolsonaro obteve 48% e Haddad, 27%

Apesar da quebra da polarização entre PT e PSDB, o mapa do voto ficou muito parecido com os das eleições desde 2006. Sob Lula, o Brasil passou a ter uma divisão clara entre o Nordeste, que passou a votar na centro-esquerda, e o Sul e São Paulo, que costumam votar na centro-direita. Com Bolsonaro, os Estados historicamente tucanos radicalizaram à direita e roubaram o protagonismo do PSDB.

Uma diferença clara neste ano foi a vitória de Bolsonaro no seu berço político, o Rio de Janeiro, onde passou dos 57%, além de Minas. Os mineiros e os fluminenses haviam dado vitória ao PT no primeiro turno em todas as disputas presidenciais desde 2006. Os Estados são o segundo e o terceiro maiores colégios eleitorais do País, respectivamente.

Leia mais no site do Estadão.

Bolsonaro surfa na onda conservadora, por MARCELO DE MORAES

“onda Bolsonaro” varreu os Estados e é com ela que o candidato conta para derrotar Fernando Haddad no segundo turno. Mesmo não tendo conseguido fechar a disputa com o petista logo no primeiro turno, como queria, o candidato do PSL sabe que tem uma vantagem imensa sobre o adversário, especialmente pelo maior recado que as urnas passaram ontem. Há muitos eleitores votando em candidatos conservadores no País.

É com essa rede regional de apoio que Bolsonaro conta para manter sua mensagem mais viva do que nunca nos Estados. Vários de seus aliados foram campeões de votos pelo Brasil afora. Mas ele tem outra vantagem sobre Haddad. Em pelo menos dois dos três maiores colégios eleitorais do Brasil, Minas e Rio, candidatos próximos a ele estão disputando o segundo turno: Romeu Zema e Wilson Witzel, respectivamente. Ou seja, manterão forte sua candidatura porque também precisam se eleger. E, em São Paulo, o tucano João Doria passa a ser um aliado natural.

Jair Bolsonaro

Na prática, Bolsonaro só não resolveu a disputa ontem porque o PT conseguiu mostrar sua força no Nordeste, empurrado pelo tradicional prestígio de Lula na região. Agora, o candidato do PSL pretende investir nesses eleitores para acabar de minar o apoio a Haddad. Bolsonaro tem o apoio de líderes religiosos para tentar entrar mais fortemente na região e se fortalecer na base adversária.

Mas, se o cenário é muito favorável, Bolsonaro sabe também que tem alguns pontos frágeis. Por causa de sua rejeição pessoal, sabe que Ciro Gomes, o terceiro colocado, deverá apoiar Haddad. Marina Silva também deve ir nessa direção. Em compensação, os tucanos – independentemente da orientação de Geraldo Alckmin – deverão aderir de vez. O mesmo já acontece com o Centrão. 

O deputado precisará também se preparar para o modelo de disputa do segundo turno. Até ontem, só precisou focar nas redes sociais, uma vez que não tinha tempo de TV. Agora, passa a ter metade do tempo e precisa preparar um programa que seja competente. Além disso, ainda precisa definir se vai participar dos debates contra Haddad – esse tipo de evento é um dos mais delicados para ele, já que não há mais candidatos e ficará num confronto mano a mano com o petista.

A verdade é que o capitão reformado criou uma poderosa imagem pública, com um “teflon” que impede que acusações contra ele grudem. A não ser que cometa um deslize muito grave, dificilmente deixará de confirmar a vantagem apontada no primeiro turno. Até porque, seu grande trunfo foi ter se comunicado perfeitamente com um eleitor que se mostrou conservador, rejeitou os políticos mais tradicionais, abraçou o discurso pela segurança pública e também, com exceção do Nordeste, disse não ao PT. 

Fonte: Estadão

1 comentário

  • Ari Couto -

    Mais uma vez o nordeste salva o Brasil.

    105
    • DALZIR VITORIAUBERLÂNDIA - MG

      Caro Ari..pelo visto seu fanatismo é de uma falta de nocao..de capacidade de enxergar parecida com seu amigo Edmilson...o pt ficou no poder quantos anos...quase 15??? Olha o PIB...menos 7...desemprego quase 14%..inflação de dois digitos...roubalheira... Vacari presidente do pt preso..lula preso...me responda isto e salvar o pais???por isto o fanático é cego..tem zoreia comprida....

      6
    • DELMAR EZEQUIEL STORCKCURITIBA - PR

      É só o que nos faltava: um bandido mandando de dentro da cadeia no país! Já temos a terrível experiência do PCC e agora querem emplacar o PT? Chega! Não queremos ser a Venezuela!

      2
    • CARLO MELONISAO PAULO - SP

      Fiquei curioso de saber o motivo de o FLAVIO DINO, comunista de foice e martelo, ganhar em primeiro turno com 60% dos votos no Maranhao. Neste Estado so' existem algumas empresas de grande porte -- a Alunorte, mineradora de aluminio, e a Ferrovia da Vale, ligando ao porto de Itaqui, e uma fabrica da Ambev... e mais nada... Nos ultimos anos o produto interno do Maranhao foi aquele que mais cresceu no Brasil graça aos agricultores que vieram de fora e plantam soja e milho... Entao cheguei a seguinte conclusao: O povo maranhense nao demonstra ter vontade empreendedora, e tem escolaridade baixissima com IDH-M-E 0,45... E' voto de cabresto -- antigamente do Sarney e hoje do partido comunista.

      3
    • CARLO MELONISAO PAULO - SP

      Entao, respondendo ao petista disfarçado de ARI COUTO: quem salva o Brasil, no entender dele, sao os ANALFABETOS...

      2