No Estadão: Propostas de presidenciáveis para Previdência elevariam custos a R$ 310 bi

Publicado em 11/10/2018 07:51
195 exibições

BRASÍLIA - Se as propostas dos candidatos Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT) de adotar um regime de capitalização para a Previdência forem aprovadas, o custo anual para os cofres do INSS seria crescente ao longo dos anos e chegaria a R$ 310 bilhões em 2040. No ano de 2050, atingiria R$ 500 bilhões – o equivalente a 4,1% do Produto Interno Bruto (PIB). Para cobrir esse buraco, o governo seria obrigado a aumentar o endividamento público porque o pagamento dos benefícios é obrigatório.

No modelo proposto pelos candidatos, cada trabalhador tem uma conta própria onde poupa apenas para sua aposentadoria. No modelo atual, de repartição, os trabalhadores que estão na ativa financiam a aposentadoria dos idosos.

Leia a notícia na íntegra no site do Estadão.

Fonte: Estadão

2 comentários

  • Antonio Carlos Jr Zamith Rio de Janeiro - RJ

    Demagogia de eleição... depois do dia 28 o mito vai ter que aceitar a realidade... sem reformas na maldita CF-88 aqui virá Venezuela piorada...

    10
  • EURIVAL GABARRÃO RUIZ José Bonifácio - SP

    Não é bem assim.O regime de capitalização, se bem administrado, resolve os problemas de todos que entrarem no sistema previdenciário daqui pra frente ( ver fundos de pensão, ex Previ). O problema são os atuais, que teriam que passar para o novo sistema sem capitalização, ai sim o governo teria de criar um método auto-financiável (ex. títulos da dívida pública-transferência Tesouro Direto e outros - proposta de Ciro Gomes)... Isso resolveria o problema para sempre, pois qualquer alteração hoje é apenas paliativa... O sistema de repartição não funciona mais numa sociedade em que a população ativa está diminuindo.

    0