Shopping centers do Brasil vendem 7,7% mais em setembro e acumulam alta de 4,2% em 2018, diz Abrasce

Publicado em 12/11/2018 21:32
53 exibições

SÃO PAULO (Reuters) - As vendas em shopping centers do Brasil em setembro subiram 7,7 por cento sobre igual intervalo do ano passado, reforçando as expectativas de que o setor encerrará 2018 com crescimento de cerca de 6 por cento, disse nesta segunda-feira a entidade que representa o setor, Abrasce.

"O segundo semestre é o mais forte em vendas para o setor. Outros fatores determinantes são a retomada da economia, o aumento do índice de confiança do consumidor e os novos modelos de negócios adotados pelos empreendimentos", afirmou Glauco Humai, presidente da associação, em comunicado à imprensa.

No acumulado do ano até setembro, os shopping centers do país venderam 4,2 por cento mais na comparação com o mesmo período de 2017, mostrou o levantamento.

Há duas semanas, a administradora de shopping centers de alto padrão Multiplan informou que apurou alta de 7 por cento nas vendas do terceiro trimestre sobre um ano antes, para 3,6 bilhões de reais. A Iguatemi teve crescimento de 4,8 por cento no conceito mesas áreas e a BR Malls deve divulgar seus dados no final da terça-feira, após o fechamento dos mercados.

Regionalmente, Sul e Centro-Oeste tiveram crescimento superior à média nacional nas vendas, com altas de 8,9 e 8,5 por cento, respectivamente, seguidas por Sudeste (+7,5 por cento), Nordeste (+7,2 por cento) e Norte (6,6 por cento).

Em setembro, as categorias que mais se destacaram nas vendas foram artigos do lar (+18,46 por cento), telefonia (+12,27 por cento) e perfumaria (+11,69 por cento).

O desempenho dos shopping centers no período superou a alta de 4,7 por cento das vendas em lojas de rua, apurado pelo Índice Cielo, destacou a associação.

Governo reduz a zero alíquotas de importação de mais 160 bens de capital e 10 de informática

SÃO PAULO (Reuters) - O governo brasileiro reduziu para zero as alíquotas do imposto de importação de mais de 160 bens de capital e de uma dezena de bens de informática e telecomunicações, de acordo com resoluções da Câmara de Comércio Exterior publicadas no Diário Oficial da União desta segunda-feira

Entre os itens isentos do imposto de importação até 30 de junho de 2020 estão impressoras a jato de tinta líquida de grande formato, telas interativas LED 4K, motores marítimos de pistão e bombas de dreno.

Os itens foram incluídos no regime ex-tarifário, que consiste na redução temporária da alíquota do imposto de importação quando não houver produção nacional equivalente.

Fonte: Reuters

Nenhum comentário