Banco Central será chefiado por executivo do Santander ligado a Paulo Guedes

Publicado em 15/11/2018 15:01 e atualizado em 15/11/2018 16:26
239 exibições

A equipe de montagem do governo do presidente eleito Jair Bolsonaro confirmou a indicação de Roberto Campos Neto para a presidência do Banco Central, atualmente executivo do Santander. Segundo informações de alguns meios de comunicação nesta tarde de quinta (15), o economista teria aceito o convite do futuro ministro da Fazenda, Paulo Guedes.

O atual secretário do Tesouro, Mansueto de Almeida, será mantido no cargo e também teria aceito o convite, segundo as mesmas fontes teriam dito ao jornal Folha de S. Paulo.

O nome de Campos já vinha cotado, pela sua proximidade com Guedes, mas ganhou força, até a confirmação de seu nome hoje, com Ilan Goldfajn desistindo oficialmente da continuidade a frente do BC.

Note-se, contudo, que o atual presidente também era bem cotado para ser mantido no cargo, inclusive contando com o favoritismo da equipe econômica do novo governo pelo seu perfil de dar mais independência ao BC.

A área econômica de Bolsanoro está praticamente fechada, pois além de Guedes, Campos e Mansueto, Joaquim Levy vai para o BNDES e Tereza Cristina, deputada, será ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Ainda faltam os nomes dos presidente da Caixa Econômica Federal e Banco do Brasil.

Fonte: Notícias Agrícolas/Folha

Nenhum comentário