Preços do petróleo sobem mais de 2% com otimismo em relação a negociações dos EUA e China

Publicado em 08/01/2019 22:01 e atualizado em 09/01/2019 09:48
50 exibições

NOVA YORK (Reuters) - Os preços do petróleo subiram mais de 2 por cento nesta terça-feira, apoiados por esperanças de que a demanda por petróleo possa subir mais rapidamente se os negociadores dos Estados Unidos e da China resolverem a disputa comercial entre as duas maiores economias do mundo.

Os futuros de petróleo dos EUA (WTI) subiram em 1,26 dólar, ou 2,6 por cento, a 49,78 dólares por barril. Durante a sessão, o contrato tocou 49,95 dólares, o maior nível desde 17 de dezembro.

Os futuros do petróleo Brent subiram 1,39 dólar por barril, ou 2,4 por cento, para 58,72 dólares.

"A situação do comércio é definitivamente otimista; você tem uma boa construção de demanda se conseguirmos fechar este acordo comercial", disse Bob Yawger, diretor de futuros da Mizuho em Nova York.

As negociações estão indo bem até agora e continuarão na quarta-feira, disse o membro da delegação norte-americana Steven Winberg.

Estes são os primeiros encontros presenciais entre autoridades dos dois países desde que o presidente dos EUA, Donald Trump, e o presidente chinês, Xi Jinping, concordaram em dezembro com uma trégua de 90 dias em uma guerra comercial que atingiu os mercados financeiros globais.

Bolsas europeias atingem máxima de 3 semanas com esperança de acordo comercial entre EUA e China

MILÃO (Reuters) - Os índices acionários europeus tocaram uma máxima em três semanas nesta terça-feira, com as esperanças de um possível acordo comercial entre a China e os Estados Unidos compensando as preocupações com o crescimento global.

O índice FTSEurofirst 300 subiu 0,82 por cento, a 1.362 pontos, enquanto o índice pan-europeu STOXX 600 ganhou 0,87 por cento, a 346 pontos.

O índice alemão DAX, sensível a questões comerciais, subiu 0,5 por cento, afastando preocupações de mais cedo com a queda inesperada da produção industrial do país em novembro pelo terceiro mês consecutivo.

"Os investidores são encorajados pelas discussões sobre tarifas comerciais (EUA-China) - principalmente porque são conversas de nível médio e houve uma participação inesperada do vice-primeiro-ministro Liu He", disse Neil Campling, codiretor do grupo temático global da Mirabaud Securities. "As pessoas veem isso como um sinal de que a China atribui grande importância às conversas."

EUA e China continuarão as conversas por um terceiro dia, que não estava previsto, disse um membro da delegação norte-americana.

A força entre os varejistas sustentou o mercado.

O setor de varejo subiu 2,1 por cento, com alta de 2,7 por cento do Carrefour, após um banco norte-americano elevar seu rating para as ações do varejista francês.

O índice de tecnologia subiu 1,2 por cento, com a fabricante de chips AMS saltando 10,8 por cento.

Em LONDRES, o índice Financial Times avançou 0,74 por cento, a 6.861 pontos.

Em FRANKFURT, o índice DAX subiu 0,52 por cento, a 10.803 pontos.

Em PARIS, o índice CAC-40 ganhou 1,15 por cento, a 4.773 pontos.

Em MILÃO, o índice Ftse/Mib teve valorização de 0,25 por cento, a 19.000 pontos.

Em MADRI, o índice Ibex-35 registrou alta de 0,81 por cento, a 8.847 pontos.

Em LISBOA, o índice PSI20 desvalorizou-se 0,29 por cento, a 4.909 pontos.

Negociações EUA-China continuam por 3º dia, dizem autoridades

norte-americanas

PEQUIM (Reuters) - Os Estados Unidos e a China continuarão as negociações comerciais em Pequim por um terceiro dia não previsto na programação original, afirmou um membro da delegação norte-americana nesta terça-feira, à medida que as duas maiores economias do mundo tentam resolver sua acirrada disputa comercial.

Steven Winberg, secretário-assistente para Energia Fóssil do Departamento de Energia norte-americano disse a repórteres no hotel da delegação dos Estados Unidos que as conversas, iniciadas na segunda-feira, correram bem.

“Eu confirmo que continuaremos amanhã, sim”, disse Winberg a repórteres, recusando-se a responder mais perguntas.

Uma porta-voz do escritório de Representação Comercial dos Estados Unidos, que está liderando a equipe de negociação dos EUA, também disse que as conversas continuarão na quarta-feira e que “um comunicado provavelmente virá em seguida”.

Os dois lados estenderam as conversas comerciais até tarde no segundo dia em Pequim nesta terça-feira, afirmou fonte com conhecimento da reunião, mas poucos detalhes foram revelados sobre o encontro.

As reuniões desta semana são as primeiras conversas face a face desde que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e o presidente chinês, Xi Jinping, concordaram, em dezembro, em estabelecer uma trégua de 90 dias em uma guerra comercial que tem abalado os mercados financeiros globais.

O editor-chefe do jornal estatal chinês Global Times, Hu Xijin, disse no Twitter que a prorrogação das conversas para quarta-feira “manda uma mensagem: os dois lados estão em conversas sérias e trabalhando duro para resolver as discordâncias entre eles”.

Não ficou claro se toda a delegação norte-americana participará das conversas na quarta-feira, ou apenas algumas autoridades selecionadas de certas agências.

Em publicação no Twitter nesta terça-feira, Trump reiterou sua declaração recente de que as conversas com a China estão indo bem, sem fornecer mais detalhes.

Banco Mundial diz que crescimento global deve diminuir para 2,9% em 2019

(Reuters) - - Banco Mundial informou nesta terça-feira que o crescimento global deve diminuir para 2,9% em 2019

- Banco Mundial diz que crescimento em mercados emergentes e em economias em desenvolvimento perdeu impulso e deve ficar em 4,2% este ano

Fonte: Reuters

Nenhum comentário