Ibovespa fecha em alta com aval do Fed e avanço forte do Bradesco; Governo flexibiliza aplicação de LCA

Publicado em 31/01/2019 18:18 e atualizado em 31/01/2019 20:11
79 exibições
Governo flexibiliza condições para aplicação de LCA

LOGO REUTERS

SÃO PAULO (Reuters) - O principal índice da bolsa paulista fechou em alta nesta quinta-feira, chegando a superar 98 mil pontos pela primeira vez, em movimento chancelado pela sinalização moderada do Federal Reserve sobre a normalização monetária nos EUA e guiado pelas ações do Bradesco após balanço e previsões fortes.

Índice de referência do mercado acionário brasileiro, o Ibovespa <.BVSP> subiu 0,41 por cento, a 97.393,74 pontos. Na máxima, atingiu 98.405,21 pontos, nova máxima intradia. O volume financeiro da sessão somou 19,66 bilhões de reais.

Em janeiro, o Ibovespa acumulou ganho de 10,8 por cento, melhor desempenho mensal em um ano.

Na véspera, o Fed manteve o juro na faixa de 2,25 a 2,5 por cento ao ano e prometeu ser paciente em elevar as taxas neste ano, além de afirmar que estaria preparado para interromper o processo de redução do balanço - processo de venda de títulos do governo que estão no seu ativo. [nL1N1ZU1I6]

"A declaração do Fomc (Comitê Federal de Mercado Aberto do Fed)...trouxe mudanças importantes que efetivamente colocaram o Fed em uma posição neutra", afirmou o UBS em nota a clientes.

O mercado doméstico estendeu a reação de quarta-feira à sinalização do BC norte-americano e manteve a trajetória de alta nesta sessão, enquanto Wall Street tinha uma sessão mista.

Agentes financeiros atribuem parte relevante do desempenho positivo de ativos de mercados emergentes neste começo de ano à perspectiva de prolongamento do ambiente de elevada liquidez global, em particular as manifestações recentes do Fed e seus membros, apesar das preocupações com a desaceleração global.

No caso do Brasil, os ganhos ainda são apoiados por perspectivas otimistas para o andamento de reformas, em particular a da Previdência, considerada crucial para melhora a situação fiscal do país.

Prognósticos favoráveis para a temporada de balanço no Brasil referendam o viés ascendente, entre eles o dos estrategistas do Santander Brasil, que aguardam resultados operacionais fortes da temporada. [nL1N1ZV0DT]

"O Ibovespa só não teve um desempenho melhor em razão da volatilidade com os papéis da Vale", afirmou o gestor Marco Tulli, da mesa de Bovespa da corretora Coinvalores em São Paulo.

DESTAQUES

- BRADESCO PN <BBDC4.SA> subiu 5,65 por cento, a 45,26 reais, máxima histórica de fechamento, após alta anual de 19,9 por cento no lucro do quarto trimestre, acima das previsões de analistas, com o banco definindo metas mais agressivas para 2019 e mostrando interesse por ativos que possam ser privatizados.[nL1N1ZV0F5][nL1N1ZV13L]

- ITAÚ UNIBANCO <PN <ITUB4.SA> valorizou-se 1,73 por cento, a 38,78 reais, também cotação recorde de fechamento. O maior banco privado do país apresenta seu desempenho trimestral na próxima segunda-feira, após o fechamento do pregão. SANTANDER BRASIL UNIT <SANB11.SA>, que divulgou balanço na véspera, subiu 0,15 por cento e BANCO DO BRASIL <BBAS3.SA>, que divulga os seus em março, teve acréscimo de 2,53 por cento, para a maior cotação de fechamento de sua história, de 51,86 reais.

- VALE <VALE3.SA> cedeu 2,36 por cento, perdendo o fôlego do começo do pregão, conforme investidores continuam avaliando os potenciais impactos da tragédia com rompimento de uma barragem da mineradora que matou pelo menos 99 pessoas. A empresa adiou a divulgação do balanço do quarto trimestre para 27 de março, ante previsão anterior de divulgação em 13 de fevereiro. [nE6N1YI02B]

- PETROBRAS PN <PETR4.SA> fechou em baixa de 0,16 por cento, em sessão sem tendência firme dos preços do petróleo, com o noticiário da petrolífera incluindo a venda da refinaria em Pasadena, no Texas, à norte-americana Chevron <CVX.N> e o comportamento das reservas provadas de petróleo e gás da companhia. [nL1N1ZV0C1][nE6N1YI02A]

- TIM <TIMP3.SA> avançou 3,08 por cento, após relatório do Itaú BBA adicionando os papéis em seu portfólio 'Buy List' de Brasil, substituindo os papéis da BRADESPAR <BRAP4.SA>. "A TIM vem apresentando melhorias sólidas de crescimento e eficiência, levando a uma expansão de margem contínua para máximas recordes", citou em relatório a clientes.

- ESTÁCIO <ESTC3.SA> caiu 4,31 por cento, em ajuste após forte alta neste mês, de 36,8 por cento no acumulado até a véspera. Analistas do Itaú BBA esperam novo declínio nas margens da empresa de educação no quarto trimestre em razão de provisões de inadimplência sazonalmente altas. A companhia divulga balanço em 14 de março. KROTON <KROT3.SA> cedeu 4,27 por cento.

Governo flexibiliza condições para aplicação de LCA

BRASÍLIA (Reuters) - O governo anunciou nesta quinta-feira as condições para aplicação de Letras de Crédito Agrícola (LCA) no financiamento agrícola, retirando a obrigação de que parte dos recursos sejam emprestados a uma determinada taxa.

A partir de 1o de fevereiro, todos os recursos captados via LCAs alocados para o crédito rural passam a ser aplicados em condições livremente pactuadas entre bancos e produtores.

Antes, 40 por cento do total destinado ao segmento agrícola só podiam ser emprestados a taxa anual de até 8,5 por cento, com os 60 por cento restantes livres de regras.

Segundo o chefe do departamento de Regulação, Supervisão e Controle das Operações de Crédito Rural e do Proagro do Banco Central, Cláudio Filgueiras, a medida é parte da orientação de aumentar o peso do crédito livre na economia. A expectativa é que isso dê mais fluidez às LCAs e aumente a oferta de recursos para o crédito rural.

Atualmente, 46 bilhões de reais de crédito para o produtor rural foram emprestados por meio de LCAs, rodando no segmento livre com uma taxa média entre 9,5 a 10 por cento.

"Esse papel vai ter maior fluidez, maior quantidade de recursos e não acredito que a taxa ao produtor vá aumentar. Acredito que as taxas ou vão se manter no mesmo patamar ou mesmo diminuir um pouquinho", disse Filgueiras, ressaltando que o que define a taxa é o risco associado ao produtor.

"Se hoje nós temos produtores que conseguem abaixo de 8,5 (por cento ao ano) eles não vão aceitar pagar mais que isso".

O CMN também aprovou medidas para assegurar recursos extras nesta safra para financiamento a pequenos e médios produtores, estimando que com isso cerca de 6 bilhões de reais para o setor.

TRAVA BANCÁRIA

O CMN também adiou para 8 de abril a entrada em vigor da "trava bancária" reduzida em recebíveis de cartão de crédito. A previsão inicial era de que as regras entrassem em vigor nesta quinta-feira. O BC alegou dificuldades operacionais de bancos e credenciadoras para implementarem os normativos.

Anunciada em dezembro, a mudança busca visa ampliar a concorrência na oferta de crédito. Com ela, o volume de ativos dado pelo lojista em garantia à operação será proporcional ao crédito tomado, liberando o excedente para ser usado como garantia para outras operações.

Nasdaq e S&P 500 fecham em alta, Dow tem leve queda

OVA YORK (Reuters) - As bolsas de valores de Nova York estenderam a recuperação na quinta-feira, com fortes ganhos do Facebook <FB.O>, que aumentaram o otimismo após comentários do Federal Reserve no dia anterior, enquanto os investidores aguardam o resultado das negociações comerciais entre Estados Unidos e China.

O índice S&P 500 <.SPX> ganhou 0,88 por cento, para 2.704 pontos. O Nasdaq <.IXIC> avançou 1,37 por cento, a 7.281 pontos. Já o Dow Jones <.DJI> caiu 0,02 por cento, para 25.008 pontos.

Fonte: Reuters

Nenhum comentário