Bolsonaro apresenta melhora e deixa unidade de terapia semi-intensiva, diz boletim médico

Publicado em 11/02/2019 19:31 e atualizado em 11/02/2019 21:35
62 exibições

LOGO REUTERS

(Reuters) - O presidente Jair Bolsonaro teve "melhora clínica progressiva e recebeu alta da unidade de terapia semi-intensiva", sendo transferido para um apartamento na manhã desta segunda-feira, informou boletim médico do hospital Albert Einstein.

"(Bolsonaro) não apresenta dor, febre e segue com melhora do quadro pulmonar", diz o boletim, acrescentando que o presidente teve suspensa a nutrição parenteral e foi "introduzida dieta leve".

 presidente não tem dor, nem febre e segue com melhora do quadro pulmonar. Na última semana, ele havia sido diagnosticado com pneumonia. Foi suspensa a nutrição parenteral (endovenosa) e introduzida dieta sólida leve e mantido o suplemento nutricional.

Presidente Jair Bolsonaro divulga foto em que aparece se barbeando (Jair Bolsonaro/Redes Sociais)
Presidente Jair Bolsonaro divulga foto em que aparece se barbeando  - Jair Bolsonaro/Redes Sociais

Estão sendo mantidas também as medidas de prevenção de trombose venosa, realizados exercícios respiratórios, de fortalecimento muscular e períodos de caminhada fora do quarto.

Por ordem médica, as visitas permanecem restritas. O governador de São Paulo, João Doria, visitou o presidente na tarde desta segunda-feira e disse que ele deve ter alta ainda esta semana. De acordo com o porta-voz da Presidência da República, Otávio do Rêgo Barros, no entanto, não há ainda previsão de alta para Jair Bolsonaro. "A alta do presidente dar-se-á quando ele esteja em condições de sair do hospital, usando uma metáfora, pela porta frente", disse o porta-voz.

Além do governador de São Paulo, se reuniram com o presidente, no hospital, os ministros da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, da Defesa, Fernando Azevendo e Silva, e o chefe do Gabinente de Segurança Institucional, Augusto Heleno. Nos encontros, Bolsonaro tratou de assuntos do governo. O secretário de segurança pública de São Paulo, João Campos, também fez uma visita de cortesia ao presidente. 

Jair Bolsonaro também autorizou, nesta segunda, o afastamento do país do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, que participará, de 12 a 15 de fevereiro, em Washington (EUA), da primeira conferência humanitária do governo interino da Venezuela, informou o porta-voz.

Doria diz que Bolsonaro deve deixar hospital esta semana 

Após encontro de cerca meia hora com o presidente Jair Bolsonaro, o governador de São Paulo, João Doria, disse hoje (11) que Bolsonaro deve ter alta do Hospital Israelita Albert Einstein até sexta-feira (15). “Esta semana ele sairá do hospital e está bastante convencido disso. Foi dito para ele pelos médicos que esta é a última semana dele aqui como nosso vizinho no Palácio dos Bandeirantes. Esta semana ele já estará de volta a Brasília com certeza.”

O governador disse que Bolsonaro está bem-humorado, com boa aparência e disposto. Segundo ele, no encontro conversaram sobre reforma da Previdência. De acordo com Doria, ainda esta semana o presidente se reúne com o ministro da Economia, Paulo Guedes, para conversar sobre a reforma da Previdência.

“O presidente deverá estar sexta-feira com o ministro Paulo Guedes para fechar o texto final que será encaminhado ao Congresso [Nacional] na semana que vem, mas ele mesmo falará sobre isso tão logo esteja em Brasília”, disse o governador, acrescentando que essa é uma avaliação pessoal.

joao_doria_jair_bolsonaro_divulgacao
Bolsonaro recebe a visita do governador de São Paulo João Doria - João Doria/Redes Sociais/Direitos reservados

Governadores

No dia 20, Doria informou que haverá uma reunião de governadores em Brasília para tratar da reforma da Previdência. O objetivo é que juntos consigam mobilizar suas bancadas em torno da aprovação da proposta que será encaminhada pelo governo federal.

“A avaliação [de envio do texto ao Congresso] é minha, imaginando que, ao longo da próxima semana, em tese, ele possa apresentar ao Congresso Nacional, tendo em vista que no dia 20 nós temos uma reunião com os governadores, a proposta será apresentada aos governadores. Supostamente um dia antes ou no mesmo dia estará sendo apresentada [a proposta] ao Congresso Nacional, a quem cabe evidentemente decisão e votação.”

Doria disse que participarão da reunião em Brasília com os governadores Guedes, o secretário da Previdência, Rogério Marinho, os presidentes do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), e da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

Mobilização

O governador disse que vai trabalhar intensamente com senadores e deputados para garantir a aprovação da reforma. A bancada paulista na Câmara reúne 70 parlamentares, entre eles Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) e Joice Hasselmann (PSL-SP), que estão entre os mais votados do país e são aliados do Palácio do Planalto.

“Nós vamos mobilizar a bancada paulista do PSDB e a bancada do PSDB de outros estados também e até de partidos coligados, no caso específico aqui de São Paulo, que mantém uma coalizão conosco, com vista à aprovação da reforma da Previdência tão logo ela seja apresentada ao Congresso Nacional. Esse é um compromisso nosso com o Brasil e com o presidente Bolsonaro”, disse Doria.

 

Fonte Reuters/Ag Brasil

Nenhum comentário