B3 estável com cenário externo positivo e dólar em alta mesmo sem ruído na Previdência

Publicado em 13/02/2019 10:59 e atualizado em 13/02/2019 12:48
111 exibições
Depois da qeuda ontem, há movimento de correção no câmbio

LOGO nalogo

Sem ruído novo com a história da Previdência às portas de saída do presidente do hospital, além das especulações usuais sobre a questão dos militares e do piso menor de recolhimento para os mais pobres, os especuladores testam o dólar acima da baixa da véspera, em movimento de correção, e de olho no noticiário político. A bolsa também em alta nesta quarta (13) amplificando, ainda, o cenário mais aliviado na rota Estados Unidos e China.

A moeda brasileira se desvalorizava em torno dos 0,40% cotada a R$ 3,73, contra o recuo do dólar em 1,16% da terça-feira. O Ibovespa Futuro, depois da alta de 0,51%, abriu também no campo positivo e margeia os 0,50/60%, seguido depois pelo Ibovespa, que já andou dos dois lados da tabela e está em estabilidade por volta das 12h35 (Brasília).

Alguns jornais deram a "irritação" de todas as categorias de policiais e da Forças Armadas, com a insistência de unificá-los, além de suposta minuta com a proposta de elevar o tempo de serviço dos servidores do Exército, Marinha e Aeronáutica de 30 para 35 anos. Ao mesmo tempo que reverberaram percentual de 7,5% de recolhimento para os mais pobres, informação atribuída ao secretário executivo do Ministério da Previdência.

Mais uma do ministro da Secretaria Geral da Presidência, Gustavo Bebiano, foi trazida pela Folha: teria liberado dinheiro para campanha de ex-assessora para repasse à gráfica de fachada. A isso somam-se a possíveis candidaturas chamadas "laranjas", que já havia irritado o presidente Bolsonaro na sua convalescença.

Dos Estados Unidos, Donald Trump mostrando-se propenso a endossar um acordo com Democratas, quanto à construção do muro na fronteira do México.

E, mais animador para os mercados, a aposta do presidente americano num acordo com os chineses, enquanto missão de alto nível está em Pequim negociando, ou até mesmo a prorrogação das tratativas caso não haja entendimento até 1ª de março. Essa boa vontade demonstrada é porque a partir daquela data passa vigorar as tarifas comerciais que vão implicar em US$ 200 bilhões.

Os índices Dow 30 Futuros e o dólar index estão em alta.

O petróleo negociado em Londres mantém a alta de ontem, pouco acima de 1% (US$ 63).

Por: Giovanni Lorenzon
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário