Dólar avança ante real com mercado observando crise envolvendo Bebianno

Publicado em 18/02/2019 09:48
359 exibições

LOGO REUTERS

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar avançava ante o real no início do pregão desta sexta-feira, com o mercado observando possível impacto da crise política envolvendo o ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gustavo Bebianno, no avanço da reforma da Previdência e aguardando semana movimentada no exterior.

Às 9:12, o dólar avançava 0,41 por cento, a 3,7188 reais na venda, após recuar 0,97 por cento, a 3,7037 reais, na sexta-feira.

O dólar futuro avançava 0,26 por cento.

O Banco Central realiza nesta segunda-feira leilão de até 10,33 mil swaps cambiais tradicionais, correspondentes à venda futura de dólares para rolagem do vencimento de março, no total de 9,811 bilhões de dólares.

(Por Laís Martins)

No Estadão: Interino, general deve virar o 8º militar no Ministério

BRASÍLIA - O presidente Jair Bolsonaro convidou o general da reserva Floriano Peixoto a assumir interinamente o ministério ocupado por Gustavo Bebianno (Secretaria-Geral), que deve ser exonerado nesta segunda-feira, 18, após entrar na mira do seu filho, o vereador do Rio Carlos Bolsonaro (PSC). Se executado, o plano vai reforçar a presença dos militares no Planalto. O chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, será o único civil entre os quatro ministros que despacham no palácio.

A edição regular do Diário Oficial da União (DOU) desta segunda já está no ar e não traz a exoneração de Bebianno do cargo, como era esperado. 

No sábado à tarde, Bolsonaro chamou ao Palácio da Alvorada, residência oficial dos presidentes da República, Floriano Peixoto e o também general Maynard Santa Rosa, que atuam na equipe de Bebianno. Na ocasião, explicou a eles seus motivos para afastar o ministro e os convidou a permanecer. Assim como Peixoto, Santa Rosa também aceitou ficar na Secretaria de Assuntos Estratégicos, cargo subordinado à Secretaria-Geral. A opção por Peixoto foi revelada pelo Estado neste domingo, 17.

Leia a notícia na íntegra no site do Estadão

E leia ainda:

>> Crise política no Governo Bolsonaro? Ele responde: "O sistema não desistirá, ele é o responsável"

Fonte: Reuters + Estadão

Nenhum comentário