PEC da Previdência não anda na Câmara até reforma dos militares chegar ao Congresso, diz líder do PSL

Publicado em 22/02/2019 12:33
38 exibições

LOGO REUTERS

Por Ricardo Brito

BRASÍLIA (Reuters) - O líder do PSL na Câmara, Delegado Waldir (GO), disse na manhã desta segunda-feira à Reuters que a proposta de emenda à Constituição (PEC) da reforma da Previdência não vai andar na Casa até que o projeto que altera o regime previdenciário para os militares seja enviado pelo governo ao Congresso.

Waldir, líder do partido do presidente Jair Bolsonaro, disse que os líderes partidários da Câmara não vão indicar nomes para compor a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Casa, o primeiro colegiado pela qual a reforma precisa tramitar, em razão de o governo não ter mandado o texto referente aos militares.

"Na próxima semana, os líderes não vão indicar nomes (para a CCJ). Enquanto não chegar o texto dos militares, a Câmara não vai andar com o atual texto da PEC da reforma", disse Waldir.

Na quarta-feira, dia em que apresentou a PEC da reforma, o governo prometeu enviar o projeto de lei referente aos militares até o dia 20 de março.

Questionado se o fato de paralisar a tramitação da PEC não atrapalha os planos do governo para aprová-la no Congresso até o meio do ano, o líder do PSL respondeu: "É o risco que o governo assumiu e o Parlamento quer ver se o tratamento de equidade proposto pelo governo realmente vai acontecer", disse.

Waldir disse que não tem "bola de cristal" para falar sobre a previsão de quando a reforma será aprovada pelo Congresso.

Fonte: Reuters

Nenhum comentário