Itália assina acordo de 2,5 bi euros com China e há mais a caminho, diz premiê

Publicado em 24/03/2019 06:43
276 exibições

ROMA (Reuters) - A Itália assinou um acordo no valor de 2,5 bilhões de euros (2,8 bilhões de dólares) durante a visita do presidente chinês, Xi Jinping, a Roma, disse o primeiro-ministro italiano, Luigi Di Maio, neste sábado, acrescentando que o valor dos contratos pode subir para 20 bilhões.

Mais cedo, Di Maio assinou um acordo preliminar e tornou a Itália o primeiro país rico ocidental a endossar o ambicioso projeto de infraestrutura chinês “Cinturão e Rota”, apesar das preocupações de aliados próximos com algum possível prejuízo aos interesses do Ocidente.

Di Maio disse a jornalistas que o governo italiano continua compromissado com seus parceiros ocidentais, mas afirmou que precisava considerar a “Itália primeiro”.

Representantes dos EUA viajam à China para discutir comércio

WASHINGTON (Reuters) - O representante de Comércio dos Estados Unidos, Robert Lighthizer, e o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, viajarão a Pequim para nova rodada de discussões sobre comércio, marcada para começar em 28 de março, disse a Casa Branca, em um comunicado, neste sábado.

Os Estados Unidos também receberão a delegação comercial chinesa, liderada pelo vice-premier Liu He, para reuniões em Washington, que devem começar em 3 de abril, disse a Casa Branca.

O presidente Donald Trump disse, na sexta-feira, que negociações com a China estão progredindo, e que um acordo final parece provável, enquanto as duas maiores economias do mundo buscam aliviar tensões de uma guerra comercial que já dura oito meses.

Mas, no começo da semana, Trump alertou que os Estados Unidos podem manter tarifas em importações da China por um tempo, embora Pequim tenha pressionado para que elas fossem removidas, como parte do acordo.

Trump diz que acordo comercial com a China vai "provavelmente acontecer"

WASHINGTON (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou que as negociações comerciais com a China estão avançando e que um acordo final vai "provavelmente acontecer", acrescentando que sua afirmação de que as tarifas sobre produtos chineses permanecerão por algum tempo não significa problemas nas negociações.

Trump, em entrevista na televisão transmitida nesta sexta-feira, também disse esperar manutenção da tarifa de 25 por cento sobre o setor automobilístico europeu em meio às negociações comerciais com a União Europeia.

"Nosso acordo está avançando muito bem. Vamos ver o que acontece", disse Trump à Fox Business Network. "Acho que o acordo vai provavelmente acontecer. Acho que eles precisam muito dele."

Questionado sobre suas declarações desta semana sobre as tarifas dos EUA sobre bens chineses permanecerem por um período de tempo e se isso significa que há problemas nas negociações, Trump disse: "não, de jeito nenhum".

Trump então passou para o setor automobilístico europeu. "Temos uma tarifa de 25 por cento sobre esse segmento --esse é nosso melhor segmento até agora. E sim, vamos conseguir mantê-la --não apenas manter, realmente acho que temos um potencial tremendo", disse ele na entrevista, que foi gravada na quinta-feira.

Fonte: Reuters

Nenhum comentário