Sistema CNA apoia reforma da previdência e agenda legislativa para o agro

Publicado em 03/04/2019 11:23
41 exibições

O presidente da CNA, João Martins, e os presidentes e representantes das Federações estaduais se reuniram na terça (2), em Brasília, com a Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA) para discutir uma agenda legislativa para o agro e para declarar apoio, com outras entidades, à reforma da previdência.

“A reforma tem que ser feita. Claro que nunca se faz o ideal, mas se faz o viável e o possível”, afirmou Martins após o encontro com os parlamentares.

João Martins aproveitou o encontro para defender uma agenda legislativa para o setor e a necessidade do Congresso Nacional construir políticas públicas para criar e fortalecer uma classe média rural. “Neste momento, é preciso a união de todos”.

Depois do encontro, foi divulgada uma carta ao presidente Jair Bolsonaro de apoio à reforma da previdência assinada pela CNA e mais 43 entidades que “representam 90% da produção agropecuária brasileira”.

No documento, as entidades alegam que, sem a reforma, “faltarão recursos para investimentos, para custeio, para o aperfeiçoamento profissional de nosso povo. Faltará esperança”.

E que ela é necessária para “destravar investimentos públicos e privados, bem como colocar o Brasil numa rota de crescimento sustentável e capaz de aproveitar suas diversas vocações, o que tem o colocado na condição de potência na produção de alimentos, fibras e energia renovável. Esse é um legado que só este governo e esta legislatura são capazes de deixar”.

A carta diz ainda que “diante da importância estratégica do setor para retomada do crescimento econômico do país e na geração de emprego e renda no campo, afirmamos nosso compromisso em apoiar a proposta de Reforma da Previdência (PEC 06/2019), seus necessários ajustes a cargo do Congresso e a possibilidade de aperfeiçoamentos no atual Sistema de Previdência Social”.

No encontro, estiveram acompanhando João Martins os presidentes e representantes das Federações dos seguintes estados: Acre, Alagoas, Amapá, Amazonas, Bahia, Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Piauí, Rio de Janeiro, Roraima, Santa Catarina, Sergipe e Tocantins.

Fonte: CNA

Nenhum comentário