"Reforma da Previdência, sem excluir outras, é uma necessidade", diz relator da CCJ

Publicado em 08/04/2019 14:40
41 exibições

LOGO REUTERS

BRASÍLIA (Reuters) - O relator da reforma da Previdência na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados, Delegado Marcelo Freitas (PSL-MG), afirmou, em publicação nas redes sociais nesta segunda-feira, que se coloca como favorável à proposta do governo do presidente Jair Bolsonaro.

"É difícil fazer o que deve ser feito! É preciso dizer o que deve ser dito! A reforma da Previdência, sem excluir outras, é uma necessidade! O Congresso Nacional é soberano e saberá encontrar a melhor solução que o Brasil verdadeiramente exige! Estamos apenas fazendo a nossa parte e não hesitaremos em cumprir com o nosso dever à nação!", disse Freitas.

Na terça-feira, o deputado vai apresentar à CCJ seu relatório sobre se aceita os aspectos legais e constitucionais da reforma de Bolsonaro.

O relator, entretanto, não adianta na publicação das redes sociais seu posicionamento. Ele cita uma série de números para demonstrar o peso da Previdência nas contas públicas e apontar que, em 2019, as despesas com essa rubrica "devem superar em mais de três vezes os gastos com saúde, educação e segurança pública".

"Sendo assim, os gastos previdenciários do governo federal ficarão, segundo o Orçamento em vigor, 540 bilhões de reais acima das despesas com saúde, educação e segurança pública, que são justamente os problemas sociais mais graves e urgentes, de acordo com diversos levantamentos junto à população brasileira!", afirmou o deputado do PSL, partido de Bolsonaro.

O relator defendeu ainda que o combate à fraude e à corrupção deve ser fortalecido e disse que justamente para isso o governo editou a medida provisória 871, destinada a combater as fraudes na Previdência, assim como o pacote anticrime, do ministro da Justiça, Sérgio Moro, ambas propostas já em andamento no Congresso.

"Essas medidas andam juntas com a reforma! Falo isso como uma das pessoas que mais coordenou ações de combate à corrupção na história da Polícia Federal!", disse o deputado, que é delegado de Polícia Federal de carreira.

(Reportagem de Ricardo Brito; Edição de Eduardo Simões)

Fonte: Reuters

1 comentário

  • Gilberto Rossetto Brianorte - MT

    Relator da reforma veio do seio do serviço público, portanto deve ter grande conhecimento das "corporações" que representam "os servidores públicos",... sabe ou deveria saber que tais organizações empurraram goela abaixo do Congresso todas essas mordomias e benefícios infundados, ... e, de lei em lei, transformaram o imoral em legal. Gostaria de acreditar que tal relator não esteja lá como representante das corporações dos servidores públicos. Acho que não será desta vez que as gordas aposentadorias serão cortadas.

    2
    • LINDALVO JOSÉ TEIXEIRAMARIALVA - PR

      No Brasil existem categorias são beneficiadas em demasia pelas gordas aposentadorias, um absurdo, em detrimento a maioria dos brasileiros, logicamente o setor publico é o mais beneficiado, sãomuitos direitos e poucos deveres. Nós produtores rurais que pagamos uma fortuna de Funrural não temos esse dinheiro voltado para nossas aposentadorias, para onde vai e como são gastos nosso FUNRURAL! Não deveria custear a aposentadoria do Produtor Rural?

      0