Banco do Brics investirá US$ 621 milhões em projetos no Brasil (AGÊNCIA BRASIL)

Publicado em 17/04/2019 11:42 e atualizado em 17/04/2019 13:09
342 exibições

O Brasil receberá US$ 621 milhões do Novo Banco de Desenvolvimento (NBD), instituição financeira criada em 2015 pelo grupo formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul, o Brics. Nos três primeiros anos de operação da instituição, foram aprovados quatro projetos brasileiros que abrangem as áreas de energia renovável (eólica, solar e hidrelétrica), construção de estradas, reconstrução de rodovia férrea, esgotamento sanitário, telecomunicações e refinarias da Petrobras. Os dados são do estudo Arquitetura Financeira Conjunta do BRICS: o Novo Banco de Desenvolvimento, lançado (17) pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea).

O estudo estima que o deficit de investimentos em infraestrutura nos países em desenvolvimento seja de US$ 1 trilhão e US$ 1,5 trilhão por ano. Criado para oferecer crédito a projetos de infraestrutura e desenvolvimento sustentável nos BRICS e em outros países em desenvolvimento, o NDB aprovou, entre 2016 e 2018, 30 projetos num total de US$ 8,1 bilhões. Segundo a pesquisa, quase um terço do valor se destina a financiamentos no setor de transporte, enquanto 26% é direcionado à energia limpa. Além desses setores, o banco também é voltado para projetos contemporâneos nas áreas de mobilidade urbana e rural, eficiência na oferta e uso da água, proteção contra enchentes, infraestrutura (social e urbana) e produção limpa (atividades poupadoras de emissão de CO2).

O Brasil, como um dos cinco acionistas do NDB, já aportou US$ 1 bilhão até 2019 e deverá destinar mais US$ 1,050 bilhão para a instituição até 2022. Até o momento, o banco já recebeu aportes de US$ 5,3 bilhões de seus sócios fundadores, e a meta de integralização do capital até 2022 é de US$ 10 bilhões.

Juntos, os países do BRICS têm uma participação de 33% no produto global, 42% da população mundial e 43% de contribuição no crescimento do produto global, segundo dados do Fundo Monetário Internacional (FMI) para 2018.

Escritório no Brasil

O NDB tem sede em Xangai, na China, além de um escritório em Johanesburgo, na África do Sul. Em novembro de 2019, está prevista a inauguração de um escritório no Brasil, na cidade de São Paulo. Há, ainda, expectativa de criação de uma representação na capital federal. Em 2020, o Brasil indicará o novo presidente do banco, lembra o Ipea.

Fonte: Agência Brasil

2 comentários

  • claudio heleno cassol Dona Francisca - RS

    Precisamos avançar nas renegociaçoes, dos passivos que se eternisam sem soluções.Por problemas causados por PLANOS ECONÔMICOS SUCESSIVOS E EQUIVOCADOS, MAS SEMPRE ROUBANDO AS SOBRAS OU RENDAS DOS PRODUTORES RURAIS, COMO EXEMPLOS, os Planos Bresser Pereira, Plano Verão, Plano Collor I quando o BANCO DO BRASIL S/A nos confiscou praticamente 50% a mais dos valores dos custeios. E que depois incorporou este confisco, como Dívidas incorporadas, no chamado Plano de Securtitização... E Plano Collor II e Plano Real, onde foi nos confiscado de 50 a 90 % das nossas receitas. O Supremo decidiu que o BB NOS DEVOLVESSEM ESTE CONFISCOS, mas o BB S/A não nos fornece os Contratos Agricolas, para que possamos recalcular.

    5
  • claudio heleno cassol Dona Francisca - RS

    Uma questão, parece que as Entidades ligadas ao AGRONEGÓCIO ESQUECERAM-SE DE ENCONTRAR: UMA SOLUÇÃO DE PARCELAMENTOS E RENEGOCIAÇÕES DO ENDIVIDAMENTO DO SETOR, RURAL. PRINCIPALMENTE DOS ARROZEIROS, QUE VEM SOFRENDO, COM UM ACHATAMENO, DOS PREÇOS SEM CORREÇÕES, DOS PREÇOS, com os Preços de R$ 40, 00 REAIS. DE JÁ A MAIS DE 15 ANOS. Pois,isto é, desde 2002 que os preços da saca de arroz com 50 kgs com grãos inteiros de 50 x 18 COM QUARENTA REAIS AO SACO, NÃO SÃO REAJUSTADOS. UM SACO DE ADUBO 5 20 20 VALIA UM SACO DE ARROZ, NAS COOPERATIVAS. HOJE PRECISAMOS QUASE 4 SACOS DE ARROZ EM CASCA. ONDE ESTAMOS?...NÃO ESTAMOS INDO ATRÁS DE DINHEIRO OU CRÉDITOS IRREAIS. PRECISAMOS RENEGOCIARMOS, NOSSOS PASSIVOS, DE PREFERÊNCIA EM SACOS DE PRODUTOS, SEJA ARROZ, SOJA, MILHO OU AQUILO QUE SE PRODUZIR. COM ALONGAMENTO MINIMO DE 20 ANOS, COM BONUS PARA QUEM POSSA, QUITAR COM ANTECEDÊNCIA.

    6