Estado de atenção com Previdência mais atenuado favorece queda do dólar

Publicado em 25/04/2019 10:50 e atualizado em 25/04/2019 14:15
135 exibições
Leilão do BC coloca mais dólares no mercado. B3 inverteu a queda.

LOGO nalogo

Após abrir rompendo a fronteira dos R$ 4,00, com os agentes testando a manutenção da disparada da quarta, o dólar recuou. As ações seguem com  potencial de queda visto desde que o sino da B3 foi acionado as 10hs desta quinta (25).

A preocupação com os percalços da tramitação da reforma da Previdência foi atenuada, mas a cautela prevalecerá ao longo do dia sob muita oscilações dos mercados.

Além da possibilidade de intervenção do Banco Central no câmbio, fora o instrumento de rolagem através de leilões de swaps já neste penúltimo dia útil da semana.

O dólar caia às 12h30 cerca de 0,60%, a R$ 3,962, e a B3 que perdia em torno de 0,60% no Ibovespa, virou para mais 0,60% enquanto o Futuros se eleva um pouco mais.

Ao longo da quarta, a aversão ao risco ficou por conta da sensação de dificuldades das propostas sobre a aposentadoria, na fase da Comissão Especial (a ser instalada hoje) e, na sequência, a ida a plenário. O governo cedeu em alguns pontos para que passasse na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ).

Mas o Planalto acenou com o uso de emendas parlamentares para aglutinar apoios, bem como o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), garantiu a continuidade de seu apoio à aprovação e em entrevista à GloboNews acredita que tudo se resolverá positivamente até o meio do ano.

Mesmo com a ressalva de que não será a proposta original, mas um "bom texto".

O exterior também colabora para a manutenção do nível de atenção. Pequim suspendeu as operações do mercado aberto para assegurar a liquidez "estável" do sistema bancário, após a injeção de recursos em empréstimos de curto e médio prazos.

E sem novidades quanto às negociações comerciais com os Estados Unidos, que devem recomeçar somente na semana que vem, tanto quanto sobre o que já se conhece sobre a complicada economia da Zona do Euro, após dados mais fracos da Alemanha.

Os índices futuros de Wall Street estão em queda e o índice dólar, na paridade com outras moedas fortes, chegou a esboçar algum poder, mas passou ao leve negativo.

 

 

Por: Giovanni Lorenzon
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário