PIB dos EUA e Previdência à espera da virada da semana tiram peso do dólar

Publicado em 26/04/2019 11:04
83 exibições

LOGO nalogo

Já instalada a Comissão Especial que vai analisar o mérito das mudanças propostas no sistema previdenciário, lideradas por dois deputados favoráveis à aprovação, e com o PIB trimestral dos Estados Unidos acima da expectativa, podem deixar os mercados financeiros seguirem para o fim de semana mais aliviados.

Enquanto a B3 vem sob influência negativa por ações de peso em baixa, como da Vale, em intenso rally dos dois lados da tabela (agora em leve baixa), dólar tenta manter o recuo da véspera (0,76%), e perde 0,56%, a R$ 3,934, nesta sexta (26), por volta das 11h25.          

Brasília tende a ficar em compasso de espera até a virada da semana (interrompida pelo feriado de 1º de maio), agora com a comissão de deputados que analisarão as propostas em seu conteúdo, após o Ministério da Economia refazer as contas e anunciar que, se aprovadas na íntegra, a economia com a Previdência sob para R$ 1,2 trilhão.

Com relatoria do pessedebista, Samuel Moreira (SP), partido que apoia a reforma, e presidida por Marcelo Ramos (AM), do PR, partido do Centrão que ajudou a aprovação na CCJ, a tramitação pode ficar mais blindada de mudanças perigosas para a desidratação do texto.

Canto da sereia para o mercado foi o comentário do presidente Jair Bolsonaro de que teria liberado estudos para privatizações dos Correios. Teria sido esse o recado dado pelo ministro Paulo Guedes, há alguns dias, a dizer que poderia vir privatização que ninguém poderia imaginar, que alguns interpretaram como podendo ser a Petrobras inteira ou fatiada?

Do exterior, a boa notícia é o PIB do 1º trimestre melhor do que se esperava para a economia dos Estados Unidos, sob alta de 3,2%. Apesar do efeito retrovisor, melhora a percepção e do efeito carrego para maior economia mundial.

Os indicadores das bolsas em Nova York estão operando no lado positivo, moderadamente, e o dólar index em queda perto da estabilidade.

A China, que se prepara para nova rodada de negociações com os americanos, destoa um pouco. As bolsas do país caíram nesta sexta, com os agentes temendo que Pequim diminua os estímulos à economia, especialmente declarações dúbias do banco central de que nem pretende apertar, nem relaxar a política monetária.

Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário