Veículo da Guarda Nacional da Venezuela atropela manifestantes em Caracas

Publicado em 30/04/2019 13:02 e atualizado em 30/04/2019 13:42
1713 exibições

LOGO REUTERS

CARACAS (Reuters) - Um veículo da Guarda Nacional da Venezuela avançou sobre e atropelou manifestantes perto de uma base militar em Caracas, que estavam jogando pedras e atingindo veículos com pedaços de madeira após o líder da oposição, Juan Guaidó, convocar um levante de militares contra o governo, mostraram imagens da Reuters TV.

(Reportagem por Redação Caracas)

Blindados venezuela

Ministro da Defesa da Venezuela diz que "ato de violência foi parcialmente derrotado"

LOGO REUTERS

CARACAS (Reuters) - O ministro da Defesa da Venezuela, Vladimir Padrino, disse que "atos de violência" de alguns membros das Forças Armadas nesta terça-feira foram "parcialmente derrotados" e que as altas patentes militares permanecem "leais à Constituição".

Os comentários de Padrino em um pronunciamento na TV estatal ocorreram após alguns membros da Guarda Nacional acatarem o pedido do líder da oposição, Juan Guaidó, para se manifestarem contra o presidente Nicolás Maduro, levando a confrontos com forças leais a Maduro próximo a uma base aérea em Caracas.

O Antagonista

Militares atropelaram manifestantes com um carro blindado em torno da base aérea La Carlota, em Caracas.

Pelas imagens que chegam da capital venezuelana, a situação parece que vai saindo do controle.

Blindados avançam contra multidão em Caracas - Foto: Tele13

Foto: Tele13 / Twitter: @ConflictsW

Militar de Maduro zomba de movimento nas ruas de Caracas

Vladimir Padrino, ministro da Defesa da ditadura de Nicolás Maduro, diz que que há uma “tentativa de golpe de Estado de magnitude medíocre e insignificante”.

Segundo ele, o que está em curso na Venezuela é um “ato terrorista”.

Ditadura bloqueia internet na Venezuela

Duda Teixeira, na Crusoé, informa que segundo a empresa Netblocks, que monitora a internet, foram bloqueados na Venezuela os serviços e sites Google, Youtube, Bing, Periscope, Soundcloud e Android.

O espetáculo de barbárie perpetrado pela esquerda

O que se está vendo na Venezuela é um espetáculo de barbárie perpetrado pela esquerda contra o povo venezuelano.

Esquerda que sempre contou e conta com o apoio de Lula e seu bando de maluco.

Conflitos na Venezuela

Base aérea La Carlota pegando fogo

Rússia diz que oposição usa métodos violentos

Aliada de Nicolás Maduro, a Rússia acusou a oposição ao ditador de usar métodos violentos.

O Ministério das Relações Exteriores diz que os problemas devem ser resolvidos por meio de negociações, informa a agência Interfax.

Veja fotos dos conflitos nesta terça-feira, 30 de abril:

Juan Guaidó e Leopoldo López - Foto: Leopoldo López / TwitterJuan Guaidó aparece ao lado de militaresTrump está ciente de situação na Venezuela e a monitora, diz Casa BrancaMinistro da Defesa da Venezuela diz que Forças Armadas seguem ao lado de MaduroGás lacrimogêneo é disparado contra Guaidó durante reunião com grupo de homens em uniformes militaresDisparos são ouvidos em manifestação de Guaidó próximo a base aérea em Caracas, dizem testemunhas

No Estadão: Blindados chavistas avançam contra opositores em Caracas

Imagens transmitidas via internet direto de Caracas mostram blindados antidistúrbio da Guarda Nacional Bolivariana dirigindo-se contra uma multidão de manifestantes contrários ao presidente Nicolás Maduro. Os manifestantes correram para evitar serem atropelados. A situação é tensa na capital venezuelana. 

Veja mais no site do Estadão

Leia ainda:

>> Bolsonaro fará reunião de emergência sobre Venezuela; Maduro reafirma lealdade de militares

Brasil reafirma apoio a transição democrática na Venezuela e a Guaidó, diz Bolsonaro

LOGO REUTERS

(Reuters) - O presidente Jair Bolsonaro disse nesta terça-feira que o Brasil acompanha "com bastante atenção" a situação na Venezuela e reafirma seu apoio à transição democrática que "se processa no país vizinho", num momento em que confrontos acontecem depois de o líder da oposição Juan Guaidó afirmar que tem o apoio de militares para derrubar o governo de Nicolás Maduro.

Bolsonaro também disse que o Brasil está ao lado do povo da Venezuela e de Guaidó.

"O Brasil acompanha com bastante atenção a situação na Venezuela e reafirma o seu apoio na transição democrática que se processa no país vizinho. O Brasil está ao lado do povo da Venezuela, do presidente Juan Guaidó e da liberdade dos venezuelanos", escreveu o presidente na rede social.

Bolsonaro chamou reunião de emergência às 12h30 para tratar da situação na Venezuela. Mais cedo, também no Twitter, ele chamou Maduro de "ditador" que escraviza o povo venezuelano.

O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, afirmou a jornalistas, em Brasília, que o Brasil ainda não tem definição sobre a Venezuela, mas "só observa e acolhe".

(Por Eduardo Simões, em São Paulo, e Marcela Ayres, em Brasília)

Bolsonaro diz que Brasil se solidariza com Venezuela e que apoia liberdade do país

LOGO REUTERS

(Reuters) - O presidente Jair Bolsonaro disse nesta terça-feira que o Brasil se solidariza com o povo da Venezuela, país onde o líder da oposição Juan Guaidó disse ter apoio dos militares para depor o governo de Nicolás Maduro, e afirmou que o Brasil apoia a liberdade do país vizinho.

Em declarações em sua conta no Twitter, o presidente chamou Maduro de "ditador" e o vinculou a partidos que são oposição a seu governo no Brasil.

"O Brasil se solidariza com o sofrido povo venezuelano escravizado por um ditador apoiado pelo PT, PSOL e alinhados ideológicos. Apoiamos a liberdade desta nação irmã para que finalmente vivam uma verdadeira democracia", escreveu o presidente na rede social.

Mais cedo, Guaidó disse ter o apoio de militares para derrubar Maduro, que por sua vez, afirma ter a lealdade das Forças Armadas. Confrontos aconteciam nos arredores de uma base aérea em Caracas onde Guaidó anunciou que tinha o apoio de militares mais cedo.

(Por Eduardo Simões, em São Paulo)

Chefe da ONU pede "moderação máxima" na Venezuela para evitar violência

LOGO REUTERS

NAÇÕES UNIDAS (Reuters) - O secretário-geral da Organização das Nações Unidas, Antonio Guterres, pediu máxima moderação na Venezuela para evitar violência, disse um porta-voz da ONU neste terça-feira, depois que o líder da oposição venezuelana, Juan Guaidó, convocou uma revolta militar para derrubar o governo do presidente Nicolás Maduro.

"O secretário-geral pediu para que todos os lados exerçam o máximo de moderação e apela a todas as partes interessadas para que evitem qualquer violência e tomem medidas imediatas para restaurar a calma", disse Stephane Dujarric, porta-voz da ONU, acrescentando que Guterres estará disponível para mediar caso os dois lados peçam por ajuda.

(Por Michelle Nichols)

Fonte: O Antagonista + Estadão

Nenhum comentário