Índice de Xangai fecha em baixa com preocupações de desaceleração

Publicado em 03/06/2019 07:41
71 exibições

XANGAI (Reuters) - As ações de Xangai terminaram a primeira sessão do mês em baixa por preocupações de que as tensões comerciais possam aumentar os riscos de uma desaceleração global, e com investidores preocupados que as medidas de estímulo do governo possam impactar a liquidez.

O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, ganhou 0,06%, enquanto o índice de Xangai teve queda de 0,3%.

Em maio, os mercados acionários da China e de Hong Kong registraram as piores quedas mensais desde outubro com a aceleração das tensões comerciais entre Estados Unidos e China.

A queda desta segunda-feira aconteceu depois de declarações do regulador de ativos de que a guerra comercial está afetando os mercados de capital, mas que o impacto é controlável.

. Em TÓQUIO, o índice Nikkei recuou 0,92%, a 20.410 pontos.

. Em HONG KONG, o índice HANG SENG caiu 0,03%, a 26.893 pontos.

. Em XANGAI, o índice SSEC perdeu 0,30%, a 2.890 pontos.

. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em XANGAI e SHENZHEN, avançou 0,06%, a 3.632 pontos.

. Em SEUL, o índice KOSPI teve valorização de 1,28%, a 2.067 pontos.

. Em TAIWAN, o índice TAIEX registrou alta de 0,02%, a 10.500 pontos.

. Em CINGAPURA, o índice STRAITS TIMES valorizou-se 0,18%, a 3.123 pontos.

. Em SYDNEY o índice S&P/ASX 200 recuou 1,19%, a 6.320 pontos.

Atividade industrial da China cresce em maio a ritmo estável, mostra PMI do Caixin

(Reuters) - A atividade industrial da China expandiu a um ritmo constante mas modesto em maio, uma vez que as encomendas para exportação se recuperaram de uma contração, mostrou nesta segunda-feira a pesquisa Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês) do Caixin/Markit.

Entretanto, o cenário econômico geral foi misto uma vez que o crescimento da produção diminuiu e os preços de fábrica estagnaram. A leitura ligeiramente melhor das condições da indústria não deve aliviar os temores de crescimento sobre o impacto da disputa comercial com os Estados Unidos.

O PMI do Caixin/Markit mostrou expansão modesta a 50,2, inalterado ante abril, e acima das expectativas de economistas de 50,0.

Este foi o terceiro mês em que o índice permaneceu acima da marca de 50 que separa expansão de contração.

O crescimento das novas encomendas acelerou em maio, embora a taxa de expansão tenha permanecido marginal. Os entrevistados atribuíram o aumento das vendas a uma demanda externa mais forte e a lançamentos de novos produtos, com as novas encomendas de exportação subindo no ritmo mais rápido desde janeiro após contraírem em abril.

Mas alguns também citaram competição forte e condições comerciais mais desafiadoras.

A pesquisa do Caixin mostrou ainda que a produção industrial expandiu no ritmo mais lento desde janeiro, e embora algumas empresas tenham aumentado a produção, outras disseram haver condições de demanda relativamente fracas.

Fonte: Reuters

Nenhum comentário