Trump cancela tarifas após México prometer maior controle sobre fronteira

Publicado em 08/06/2019 12:09
200 exibições

WASHINGTON/CIDADE DO MÉXICO (Reuters) - Os Estados Unidos e o México chegaram a um acordo na sexta-feira para evitar uma guerra tarifária, com o México concordando em expandir rapidamente um polêmico programa de asilo e enviar forças de segurança para conter o fluxo de imigrantes ilegais da América Central.

O presidente dos EUA, Donald Trump, havia ameaçado impor tarifas de importação de 5% sobre todos os produtos mexicanos a partir de segunda-feira, se o México não se comprometesse a fazer mais para controlar suas fronteiras.

Em uma declaração conjunta depois de três dias de conversas em Washington, os dois países disseram que o México concordou em expandir imediatamente para toda a fronteira um programa que envia imigrantes em busca de asilo nos Estados Unidos para o México enquanto aguardam análise de seus casos.

Trump disse que o México concordou em tomar medidas duras para "reduzir, ou eliminar" a imigração ilegal vinda do país.

No entanto, o acordo não chegou a contemplar uma demanda norte-americana de que o México aceitasse a designação de um "terceiro país seguro", que forçaria o país a ficar permanentemente com a maioria dos que buscam asilo.

"As tarifas programadas para serem implementadas pelos EUA na segunda-feira contra o México estão, portanto, suspensas indefinidamente", disse Trump em um tuíte na noite de sexta.

Frustrado por uma onda recente de imigrantes que sobrecarregou os recursos norte-americanos na fronteira sul, Trump tem usado a ameaça de tarifas para pressionar o México a fazer concessões.

Presidente mexicano reitera desejo de evitar conflito com Trump

CIDADE DO MÉXICO (Reuters) - O presidente do México, Andrés Manuel López Obrador, reiterou nesta sexta-feira seu desejo de evitar um confronto com o governo dos Estados Unidos e de seguir amigo do presidente dos EUA, Donald Trump, em meio à ameaça de uma guerra comercial por causa da imigração.

López Obrador fez a declaração em uma reunião com prefeitos, autoridades e líderes empresariais da América do Norte no balneário de Los Cabos, no noroeste do México.

Fonte: Reuters

Nenhum comentário