Exoneração do ministro Santos Cruz é publicada no Diário Oficial

Publicado em 13/06/2019 17:49 e atualizado em 14/06/2019 11:33
409 exibições

O decreto com a exoneração do ministro-chefe da Secretaria de Governo da Presidência da República, Carlos Alberto dos Santos Cruz está publicada no Diário Oficial da União desta sexta-feira (14).

No mesmo decreto, assinado pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, também está a nomeação de Luiz Eduardo Ramos Baptista Pereira para a vaga do ex-ministro Santos Cruz.

A saída do ministro Santos Cruz foi definida no fim da manhã dessa quinta-feira (13), em reunião dele com o presidente Jair Bolsonaro, no Palácio do Planalto, e confirmada pelo Palácio do Planalto, que anunciou também o seu substituto, o general de Exército Luiz Eduardo Ramos Baptista Pereira.

Em nota, o porta-voz do governo, Otávio Rêgo Barros, agradeceu o trabalho de Santos Cruz. "O senhor presidente da República, Jair Messias Bolsonaro, informa que o ministro-chefe da Secretaria de Governo, general de Divisão Carlos Alberto dos Santos Cruz, será substituído pelo general de Exército Luiz Eduardo Ramos Baptista Pereira. O presidente da República deixa claro que essa ação não afeta a amizade, a admiração e o respeito mútuo, e agradece o trabalho executado pelo general Santos Cruz à frente da Secretaria de Governo", afirmou.

Santos Cruz é o terceiro ministro a deixar o governo, após as demissões de Gustavo Bebianno (Secretaria Geral) e Ricardo Vélez Rodríguez (Educação). O novo ministro é o atual comandante militar do Sudeste. Ramos também atuou como comandante da Missão das Nações Unidas para a Estabilização do Haiti e foi vice-chefe do Estado-Maior do Exército.

Em carta distribuída à imprensa, o ex-ministro Santos Cruz disse que deixou o cargo por decisão do presidente da República e agradeceu servidores da pasta, parlamentares, governadores, prefeitos e meios de comunicação, além do próprio Bolsonaro e familiares. Ele também mencionou autoridades do Judiciário e organizações da sociedade civil. A Secretaria de Governo na gestão Bolsonaro tem atribuição de liderar as relações institucionais e federativas do Poder Executivo federal.

Por Agência Brasil

Santos Cruz deixa governo e será substituído por comandante militar do Sudeste

LOGO REUTERS

Por Lisandra Paraguassu

BRASÍLIA (Reuters) - O general da reserva Carlos Alberto Santos Cruz deixou o comando da Secretaria de Governo da Presidência da República e será substituído no cargo pelo general Luiz Eduardo Ramos Baptista Pereira, atual comandante militar do Sudeste, informou nesta quinta-feira o gabinete do porta-voz da Presidência, general Otávio Rêgo Barros.

Segundo informou uma fonte à Reuters, Santos Cruz não pediu demissão do cargo. A saída do general do ministério do presidente Jair Bolsonaro acontece pouco mais de um mês depois de Santos Cruz ser alvo de críticas do escritor Olavo de Carvalho, ideólogo dos seguidores de Bolsonaro, assim como de filhos do presidente.

A fonte disse ainda que a saída do general do cargo se deu devido a uma série de disputas envolvendo a área de comunicação do governo, o que estava atrapalhando o planejamento do setor.

Em nota divulgada pelo porta-voz da Presidência, Otávio Rêgo Barros, Bolsonaro disse que a amizade com Santos Cruz continua.

"O presidente da República deixa claro que essa ação não afeta a amizade, a admiração e o respeito mútuo, e agradece o trabalho executado pelo general Santos Cruz à frente da Secretaria de Governo."

Santos Cruz, por sua vez, expressou, em carta à imprensa, agradecimento e admiração a servidores da secretaria, a parlamentares e outras autoridades. E finalizou: "Ao presidente Bolsonaro e seus familiares, desejo saúde, felicidade e sucesso."

Sobre Santos Cruz, o escritor Olavo de Carvalho chegou a afirmar que "fofoca e difama pelas costas" e recebeu resposta do general, que classificou o escritor de "um desocupado esquizofrênico".

O general também foi criticado por filhos do presidente --o vereador no Rio de Janeiro Carlos Bolsonaro, e o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP).

Sob a Secretaria de Governo, comandada por Santos Cruz, está a Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência, e Carlos fez críticas públicas à comunicação do governo.

Após o momento mais agudo da crise, no início de maio, quando Santos Cruz e Bolsonaro estiveram reunidos por mais de uma e hora e meia num domingo, o presidente chegou a manifestar confiança no general.

Santos Cruz é a terceira baixa no primeiro escalão no governo Bolsonaro em menos de seis meses. Antes dele deixaram os cargos de ministro da Secretaria-Geral da Presidência Gustavo Bebianno, que presidiu o PSL, partido de Bolsonaro, durante a campanha eleitoral, e o ministro da Educação Ricardo Vélez.

(Reportagem adicional de Ricardo Brito, em Brasília, e de Eduardo Simões, em São Paulo)

Substituto de Santos Cruz passou a Páscoa com Bolsonaro

Na Crusoé, Igor Gadelha conta que Luiz Eduardo Ramos Baptista Pereira, o novo ministro-chefe da Secretaria de Governo, passou a Páscoa com Jair Bolsonaro no Guarujá.

O então chefe do Comando Militar do Sudeste é amigo de longa data do presidente.

‘Não teve briga, continua amor’, diz Heleno sobre saída de Santos Cruz

Augusto Heleno disse agora à noite que a demissão de Carlos Alberto dos Santos Cruz da Secretaria de Governo foi resultado de “um conjunto de coisas que acontecem”, relata o Estadão.

“Não teve briga, não teve nada. Continua amor, são amigos de 40 anos, continuam a ser amigos”, disse o ministro-chefe do GSI, em referência a Santos Cruz e Jair Bolsonaro.

“O presidente, ele próprio, está usando uma metáfora bastante apropriada para a situação: é um casamento, de muito longa duração, mas chegaram à conclusão de que não era a hora de ele continuar”, acrescentou Heleno.

Fonte: Reuters / O Antagonista

1 comentário

  • Rodrigo Polo Pires Balneário Camboriú - SC

    Muito engraçado o jeito de noticiar isso ("Santos Cruz deixa governo e será substituído por comandante militar do Sudeste")... para começar quero contar um fato curioso, tempos atrás o professor Olavo de Carvalho elogiou o general Santos Cruz, no que foi respondido com insultos. Parece coisa de maluco né? Voltando, o que disse que considero engraçado é que os antagonistas dizem que Santos Cruz foi criticado pelo professor Olavo, na verdade ele disse que o general era um merda por querer controlar a internet, e isso não é só o professor Olavo que não admite. Brasileiros fiquem caladinhos aí, grande Santos Cruz. É. De novo volto ao que é engraçado, foram as criticas e não o que general Santos Cruz fez o motivo da desoneração. Entenderam? Esse general quando secretário doou milhões à artistas de esquerda para irem falar mal do presidente no exterior, isso entre outras coisas. Quanto ao professor ser ideólogo, isso é uma tremenda besteira, uma ideologia é um sistema de idéias, e o professor Olavo de Carvalho possui uma filosofia, o que é coisa bem diferente e mais grandiosa. O professor Olavo de Carvalho sabe tudo sobre Karl Marx, sobre Herbert Marcuse, sobre os iluministas, e nos indicou a literatura que nos forneceu os termos de expressão daquilo que sabíamos e era fonte de angustia por não sabermos como expressar esse saber. Ele nos forneceu meios de expressão, nos ensinou, nos indicou literatura de escritores com idéias contrárias ao esquerdismo. Americanos, russos, ingleses, franceses, e através deles encontramos o caminho e fomos descobrindo os ardis dos comunistas e sua verdadeira história, uma história de desprezo pelo ser humano. Além disso o professor Olavo de Carvalho é um grande fã de Otto Maria Carpeau, João Camilo de Oliveira, Mario dos Santos, e inúmeros outros. Outro fato interessante é que Olavo de Carvalho foi amigo de José Dirceu na juventude. É amigos, muita coisa poderia escrever ainda, mas o general Santos Cruz também foi acusado de criticar o presidente Bolsonaro em mensagens de watts up, o que foi mostrado ao presidente, o general negou.

    11