Bolsonaro faz pronunciamento na TV contra isolamento e a histeria provocada pela mídia

Publicado em 24/03/2020 20:55 e atualizado em 24/03/2020 22:07
1552 exibições
'Esse travamento do País é péssimo para a saúde', diz Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta

Em pronunciamento à nação às 20h30 de hoje, em rede nacional de TV e rádio, o presidente Jair Bolsonaro disse que, desde o início da pandemia do novo coronavírus, era preciso "conter o pânico e a histeria e traçar estratégias para salvar vidas". Ele elogiou as ações do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, no planejamento estratégico de esclarecimento e atendimento no Sistema Único de Saúde.

Bolsonaro criticou a imprensa, colocando-a como responsável por "espalhar a sensação de pavor" ao divulgar o grande número de vítimas na Itália, país que, segundo ele, tem grande número de idosos e clima diferente do Brasil. Em seguida, parabenizou a mídia por, "de ontem para hoje", pedir calma à população.

O presidente criticou também algumas autoridades que "devem abandonar o conceito de terra arrasada, a proibição de transporte, o fechamento dos comércios e o confinamento em massa". Segundo ele, não há motivo para fechar escolas, uma vez que o grupo de risco é composto por, também, pessoas com mais de 60 anos. "São raros os casos fatais de pessoas sãs com menos de 40 anos", disse.

Embora critique as medidas, Bolsonaro afirmou que deve haver "extrema preocupação" em não transmitir o vírus para outras pessoas. Ele disse que, no próprio caso, se fosse infectado, não precisaria se preocupar, devido ao seu "histórico de atleta".

Bolsonaro disse que o FDA (agência reguladora dos EUA) e o Hospital Albert Einstein estão buscando comprovação da cloroquina para uso das pessoas com covid-19. Por fim, prestou homenagem aos profissionais da saúde.

 "Sem pânico ou histeria, como venho falando desde o princípio, venceremos o vírus e nos orgulharemos”, disse o presidente (Agencia Brasil) 

Em pronunciamento no rádio e na TV na noite desta terça-feira (24), o presidente Jair Bolsonaro afirmou que o novo coronavírus (covid-19) está sendo enfrentado e pediu calma à população. "Sem pânico ou histeria, como venho falando desde o princípio, venceremos o vírus e nos orgulharemos”, disse o presidente.

Bolsonaro afirmou que as autoridades devem evitar medidas como proibição de transportes, o fechamento de comércio e o confinamento em massa. “Nossa vida tem que continuar. Os empregos devem ser mantidos. O sustento das famílias deve ser preservado. Devemos, sim, voltar à normalidade”, destacou.

O presidente voltou a dizer que o grupo de risco para a doença é o das pessoas acima dos 60 anos de idade e que não teria necessidade de fechamento de escolas, já que são raros os casos fatais de pessoas sãs com menos de 40 anos. Segundo ele, 90% da população não terá qualquer manifestação da doença, caso se contamine, e a preocupação maior deve ser não transmitir o vírus, "em especial aos nossos queridos pais e avós". 

Sobre os trabalhos das equipes de saúde em todo o país, coordenadas pelo ministro da Saúde, Henrique Mandetta, Bolsonaro confirmou que ocorreu um planejamento estratégico para manter um atendimento eficaz dos pacientes no Sistema Único de Saúde (SUS).

Jair Bolsonaro disse ainda acreditar na capacidade dos cientistas e pesquisadores para a cura dessa doença e falou que o governo recebeu notícias positivas sobre o uso da cloroquina no tratamento da covid-19. Ele aproveitou o pronunciamento para agradecer quem está na linha de frente no combate ao novo coronavírus. “Aproveito para render minha homenagem a todos os profissionais de saúde: médicos, enfermeiros, técnicos e colaboradores, que na linha de frente nos recebem nos hospitais, nos tratam e nos confortam.” (por Agencia Brasil)

'Esse travamento do País é péssimo para a saúde', diz Mandetta

BRASÍLIA (Estadão Conteúdo) — Em linha com o presidente Jair Bolsonaro, o ministro da SaúdeLuiz Henrique Mandetta, afirmou que restrições impostas nos Estados, como fechamento de comércios, são "péssimas" para o setor de saúde. Apesar de afirmar que não irá pedir aos governadores para afrouxarem as medidas, ele disse que alguns estão percebendo que aceleraram decisões e que será necessário fazer ajustes.

"Tem médicos fechando consultórios. Daqui a pouco estou lá cuidando de um vírus, mas cadê o pré-natal? Cadê o cara que está fazendo a quimioterapia? Não dá para chegar e dizer o que é essencial. Se precisar de um mecânico para consertar uma ambulância, ele é o mais essencial naquele momento", disse, ao sair do Palácio do Planalto, após conferência com governadores do Centro-Oeste e Sul. 

O ministro disse ainda que medidas restritivas, como fechamento de aeroportos e rodovias, podem atrapalhar, por exemplo o funcionamento de fábricas de equipamentos médicos e suprimento de materiais, como máscaras. 

Segundo o ministro, as ações precisam ser sincronizadas e não devem atender motivações políticas, como ele tem visto em alguns casos. “Tenho visto prefeitos com eleições na frente. Teve um que me ligou e falou que já tinha fechado mercearia, borracharia e açougue. Eu perguntei o porquê e ele me disse que o cara da oposição tinha dito na rádio que, se ele não fechasse, estava errado”. 

Sistema de saúde

Luiz Henrique Mandetta afirmou que a evolução de casos de covid-19, doença transmitida pelo novo coronavírus, está dentro da previsão do governo. Também ressaltou que o País é autossuficiente na produção de cloroquina, medicamento que tem sido usado em casos mais graves, e que alguns países até solicitaram o remédio para o Brasil.

O ministro também voltou a defender o sigilo dos exames do presidente Jair Bolsonaro. Disse que os resultados cabem ao paciente e ao médico. O Estado pediu, oficialmente, cópia do resultado à Presidência, que ainda não foi enviada.

Fonte:
Agencia Brasil/Estadão Conteúdo

2 comentários

  • Manuel Jordão

    O presidente Bolsonaro e o dr. Osmar Terra estão certos. O que governadores e prefeitos estão impondo ao povo (que infelizmente os elegeu) nem o pior déspota faria com sua população. O troco virá... não tenham dúvida.

    .

    5
  • STEFANO DUTRA VIVENZA belo horizonte - MG

    É ultrajante e indigno ter que assistir em rede nacional a um pronunciamento vil como o que fez ontem o presidente da república, no qual o mesmo nega a ciência, nega o posicionamento de seu próprio ministério e pretende, através de mais um factoide, ganhar popularidade perante seus seguidores. Por fim, é um desrespeito às dezenas de mortos que já contamos e aos que virão. Que situação!

    50
    • Elton Szweryda Santos Hortolândia - SP

      De Minas Gerais pra cima tem muito comunista!!

      3
    • Marcos Alessandra Tortato Ponta Grossa - PR

      Para encerrar, o Pres Bolsonaro falou o que tinha de falar, desagradou a quem tinha de desagradar, mostrou que o país não pode parar e irritou quem sempre se irrita com ele!

      Importante são as ações tomadas pelo governo que irá minimizar esse contágio, o resto é fogo no parquinho!

      1,5 milhão de pessoas morreram de tuberculose em 2018, ante 1,6 milhão em 2017 no mundo. Também vem pelo espirro ou saliva de um indivíduo infectado ou pelo ar. Ela mata 4.700 pessoas por ano no Brasil. Só não é tão pop quanto o corona!

      Vamos adotar o confinamento VERTICAL, ou seja, idosos e vulneráveis serão isolados e jovens saudáveis irão trabalhar! A conta vai chegar, e como diz o Presidente: "Se a economia colapsar, teremos o caos e o vírus ao mesmo tempo!"

      #BolsonaroTemRazao

      2
    • Gilberto Rossetto Brianorte - MT

      Eu também não gostei de parte do pronunciamento do Presidente Bolsonaro. Foi inconveniente fazer citações contra a Rede Globo e também foi inconveniente dizer que se trata de uma gripezinha, demonstrou despreparo do cargo que ocupa, principalmente porque foi um pronunciamento oficial, convocado e gravado por ele. Podia ter poupado seus eleitores (que eu sou um) e aproveitado melhor o tempo, para passar um mensagem bem melhor. Prá mim foi horrível.

      12
    • Elton Szweryda Santos Hortolândia - SP

      Eleitor dele uma ova.

      2
    • Gilberto Rossetto Brianorte - MT

      Sr. Elton ... fui sim, e hoje ainda votaria nele, porém não sou tapado, ainda tenho 2 neurônios funcionando para discernir o certo do errado.

      6
    • Elton Szweryda Santos Hortolândia - SP

      Será? Ou voce tem consciencia, acredita, tem convicçao ou muda de time, meu caro. Voce quer dizer que ele precisa ficar quieto enquanto a turma contraria fala e faz barbaridades, tem prefeitinho aí trancando estradas..., voce tá sabendo, se tá, nao devia falar o que falou, né...

      4
    • Alexandre Carvalho Venda Nova do Imigrante - ES

      Ou vc está com Bolsonaro e toda a Direita Conservadora deste país (que já não é grande coisa, em números reais) ou vc é só mais um New Left, estilo Dóriana, Fruta ou Tubaína Paschoal. Decida-se de que lado está e assuma-se de uma vez! Só não seja covarde como estes últimos fizeram, na última eleição.

      2
    • Gilberto Rossetto Brianorte - MT

      Na teoria do Elton e do Alexandre se o líder descambar para o lado errado é perverso, mas temos de segui-lo mesmo assim. Diante dessa idéia de voces, não sei porquê criticam os eleitores do ex-presidiário Molusco quando eles pedem "Lula Livre". Ora, só estão seguindo o lider, mesmo que seja um ladrão e corrupto... Lamentável tal posicionamento de voces... por isso é que tem gente a esquerda dizendo: Bozo e seu gado.

      2
    • Elton Szweryda Santos Hortolândia - SP

      Viu só, sabia que era lorota, votaram no alkmim, aí ficam com conversinha..., ninguem é louco de apoiar o erro..., entretanto, ate agora é o unico que me representa..., e voces tem o barbudinho pra apoiar, certo.

      2