Brasil pode avançar no comércio de carne suína para a China

Publicado em 01/12/2008 15:27 1754 exibições

Os governos do Brasil e da Chinadevem ratificar, nesta semana, o protocolo que facilitará o comércio bilateral de carne suína. O secretário de Defesa Agropecuária do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Inácio Kroetz, chefia a missão em Pequim (China), até quinta-feira (4), onde se reúne com autoridades da Administração Geral de Supervisão, Inspeção e Quarentena da República Popular da China.

O documento determina requisitos de inspeção, quarentena e saúde veterinária para a carne suína exportada e importada entre os países. “Este protocolo estabelece as bases e garantias para certificação sanitária, exigidas pelo país importador”, explicou Kroetz.

Uma equipe do Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal, da Secretaria de Defesa Agropecuária (Dipoa/SDA) conhecerá o sistema chinês de inspeção em estabelecimentos produtores de aves termoprocessadas.

Comércio - Ainda para tratar de expansão do comércio com o país asiático, o secretário participa de uma reunião na China Meat Association, da qual fazem parte exportadores e importadores de carnes.

A China, economia que mais cresce no mundo, é destino número um dos produtos do agronegócio brasileiro. A previsão para este ano é de aumentar em 81% as importações agropecuárias, em relação ao ano passado. Com um Produto Interno Bruto (PIB) de US$ 3,2 trilhões e crescimento previsto de 10%, em 2008, a estimativa de compra de produtos agropecuários nacionais pelo país asiático é de US$ 8,5 bilhões.

Os destaques são o complexo soja (farelo, óleo e grãos), que de janeiro a outubro deste ano gerou receita de US$ 5,8 bilhões, e os produtos florestais e couro, com vendas no valor de US$ 668,7 milhões, no mesmo período.


Fonte: Mapa

Fonte:
Mapa

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário