Dólar fecha a R$ 2,18; Bovespa ganha 1,63%

Publicado em 06/01/2009 21:05 1652 exibições

O dólar comercial foi cotado a R$ 2,180 na venda nas últimas operações registradas nesta terça-feira. O valor representa um declínio de 3,24% sobre a cotação de ontem e é a menor taxa de 7 de novembro. Nas casas de câmbio paulistas, o dólar turismo foi cotado a R$ 2,340, em uma retração de 3,30%.

A Bovespa (Bolsa de Valores de São Paulo) opera com ganhos de 1,63% e alcança os 42.200 pontos. O giro financeiro é de R$ 3,48 bilhões. Nos EUA, a Bolsa de Nova York valoriza 0,56%.

O preço da moeda americana permaneceu em queda durante todo o dia, oscilando entre a máxima de R$ 2,224 e a mínima de R$ 2,157. Analistas notam o retorno, ainda cauteloso, de investidores estrangeiros à Bolsa de Valores, puxando o preço das ações e contribuindo para derrubar o dólar.

O analista da corretora Liquidez, Mário Paiva, nota que os estrangeiros reduziram suas posições compradas (que ganham com a alta do dólar) em mais de US$ 1 bilhão desde anteontem. Recentemente, algumas grandes gestores internacionais de investimentos começaram a recomendar o real brasileiro, entre outras moedas de economias emergentes, como uma alternativa de alocação de recursos.

"É preciso ter cautela. A posição comprada dos estrangeiros ainda é muito significativa [mais de US$ 11 bilhões]. Para mim, o dólar deve oscilar entre R$ 2,100 e R$ 2,300 no mês de janeiro", comenta o profissional da Liquidez.

Paiva também faz ressalvas ao "efeito Obama", que trouxe um relativo otimismo nesses primeiros dias do ano, em meio às notícias de que o próximo presidente dos EUA articular um pacote bilionário para resgatar a economia americana. "Todo os profissionais de mercado sabem que os problemas dos EUA não vão resolver da noite para o dia. Por mais o Obama seja competente, ele não pode fazer mágica", sintetiza.

Juros futuros

O mercado de juros na BM&F (Bolsa de Mercadorias & Futuros), que serve de referência para as tesourarias de bancos, ajustou as taxas projetadas para 2010 e 2011.

No contrato com vencimento em março de 2009, a taxa projetada cedeu de 13,25% ao ano para 13,24%; no vencimento de janeiro de 2010, a taxa projetada passou de 11,98% para 12% e no contrato com o vencimento de janeiro de 2011, a taxa prevista subiu de 11,94% para 11,97%.


Fonte: Folha Online

Fonte:
Folha Online

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário