Dados sobre empregos fazem petróleo cair abaixo de US$ 40

Publicado em 09/01/2009 22:01 1474 exibições

O preço do petróleo caiu abaixo dos US$ 40 o barril nesta sexta-feira após o anúncio pelo governo dos Estados Unidos da maior perda de empregos em um ano desde a Segunda Guerra Mundial.

O dado reforça as perspectivas de retração ainda maior do consumo, em setores que afetam diretamente o setor de energia.

10 questões para entender o tremor na economia
"[Entenda a evolução da crise que atinge a economia dos

Às 15h59 (horário de Brasília), os contratos do barril de petróleo para entrega em fevereiro eram negociados a US$ 39,93, em queda de 4,24% em relação ao fechamento anterior (US$ 41,70).

O Departamento do Trabalho norte-americano divulgou hoje o fechamento de 524 mil postos de trabalho em dezembro e 2,6 milhões de vagas ao longo do ano. Esta foi a maior perda anual de empregos desde os 2,8 milhões de cortes em 1945. A taxa de desemprego atingiu 7,2%, a maior desde 1993.

Segundo os dados do governo, o número de pessoas desempregadas no país atingiu 11,1 milhões. Desde o início da recessão, em dezembro de 2007, o número de desempregados aumentou em 3,6 milhões, e a taxa de desemprego cresceu em 2,3 pontos percentuais.

A tensão no Oriente Médio, causada pela ofensiva militar de Israel na faixa de Gaza, e pela disputa entre Rússia e Ucrânia sobre gás natural, afetou o mercado petrolífero; os dados sobre a economia americana, no entanto, levaram os analistas a prever uma queda na demanda.

Nesta semana, o Departamento de Energia informou que os estoques de petróleo dos EUA cresceram em 6,7 milhões de barris, contra uma expectativa de crescimento de 2 milhões.

Em seu relatório diário, o analista de energia, Stephen Schork, destacou o enfraquecimento da economia, especialmente na indústria automotiva e de aço, com as montadoras prolongando as paradas programadas de fim de ano na América do Norte.

Segundo publicou o jornal "Washington Post" nesta sexta-feira, o presidente eleito dos Estados Unidos, Barack Obama, criticou o pacoteGeorge W. Bush e promete expandir a ajuda financeira para pequenas empresas além de Wall Street. de US$ 700 bilhões aprovado pelo governo do presidente

Nos últimos dias, Obama prometeu um plano de resgate da economia de até US$ 800 bilhões para concentrar esforços na criação de ao menos três milhões de empregos. Nesta quinta-feira, o presidente prometeu um corte de US$ 1.000 em impostos para 95% das famílias de trabalhadores de classe média americanos.

Obama também prometeu dobrar a produção de energias alternativas nos três próximos anos e melhorar a eficiência energética em dois milhões de lares. O presidente repetiu novamente que a onda de pessimismo contagiou as famílias americanas, desesperadas com as perdas de milhões de postos de trabalho, e que a situação poderá piorar ainda mais se o plano não for aprovado imediatamente pelo Congresso.


Fonte: Folha Online

Fonte:
Folha On Line

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário