MS recebe primeira das quatro missões da China agendadas para 2010

Publicado em 18/01/2010 15:44 657 exibições

Diretores da Associação Chinesa para a promoção de Ciência, Tecnologia e Finanças - com sede em Beijin (capital federal) e que integram a primeira de quatro missões agendadas por investidores chineses ao Mato Grosso do Sul em 2010, chegam nesta segunda, dia 18, para visita de três dias ao Estado.

Segundo o presidente binacional da Câmara de Comércio e Indústria BrasilChina (CCIBC), Charles Tang, que acompanha o grupo, além da retribuição protocolar à visita do governador André Puccinelli àquele país, o Estado despertou grande interesse em diversos setores.

— Quatro delegações chinesas que pediram à organização da CCIBC para visitar o Brasil, já incluíram o Mato Grosso do Sul na agenda — assegura Tang, revelando que ainda no primeiro semestre, o Estado deve receber a visita de uma missão de empresários ligados ao setor automobilístico, químico e siderúrgico.

Esta primeira missão, que ficará no Estado até o dia 20, é integrada pelos empresários Guo Mao Qiang, chefe do escritório em Shanghai da Associação Chinesa para a promoção de Ciência, Tecnologia e Finanças, e de Gu Jing, seu vice, e também empresário da região.

— Os empresários não têm apenas interesses pessoais no
Estado. Eles representam uma grande associação chinesa de pesquisa e investimentos, que congrega milhares de empresas em todas as regiões da China, com diversos setores envolvidos — explicou Tang, esperando que as negociações não sejam concentradas em apenas um setor ou produto específico.

As potencialidades do setor sucroalcooleiro também atraíram o interesse da BBCA - gigante chinesa do setor de bioquímica e química fina. Charles Tang adianta que este grupo buscará parceiros brasileiros para a fabricação de ácidos a partir da cana-de-açúcar. A tecnologia chinesa permitirá usar o caldo de cana como matéria prima para fabricação de outros produtos bioquímicos, como o ácido cítrico e lácteo.

O status de um dos principais estados brasileiros em termos de agribusiness, com destaque na produção de carne, grãos, florestas e cana-de-açúcar, também atrair investidas dos empresários chineses. O dirigente adianta que os chineses têm demonstrado vontade de investir nos setores de celulose, etanol, energia solar para as fazendas e projetos pecuários, e no processamento da carne.

— Cada vez mais, a China come mais carne, e o interesse da indústria chinesa está no processo de industrialização da carne brasileira — revela Charles Tang.

Fonte:
Gov. do MS

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário