Petróleo: Maior reserva pode estar na Venezuela

Publicado em 02/02/2010 08:32 e atualizado em 02/02/2010 09:09 931 exibições
Relatório divulgado pela United States Geological Survey (USGS) – o departamento de geologia do governo americano – sinalizou com a possibilidade de a Venezuela tornar-se a detentora da maior reserva de petróleo do mundo. Relatório divulgado pelo instituto em sua página na Internet no último dia 22 de janeiro, comentando a área da Bacia do Orinoco, naquele país, aponta a perspectiva de existirem no local 513 bilhões de barris de petróleo pesado tecnicamente recuperáveis.

“O volume é surpreendente e supera em muito as estimativas que vinham sendo reveladas pela própria Venezuela até bem pouco tempo”, comentou o geólogo da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Leonardo Borghi, procurado para comentar o relatório. A Venezuela costuma apregoar sobre esta área um montante na faixa dos 150 bilhões de barris de óleo recuperáveis. Nos bastidores do setor chegou-se a ser veiculada a possibilidade de haver no local até 250 bilhões de barris, mas parte com sérias dificuldades de retirada debaixo do solo, devido ao teor bastante pesado do óleo lá encontrado.

Se confirmado, o relatório do departamento norte-americano, as reservas recuperáveis de óleo na região seriam mais do que o dobro das existentes na Arábia Saudita, atualmente a maior do mundo. O volume também deixa risível a melhor perspectiva de reservas de petróleo do pré-sal brasileiro, para até 150 bilhões de barris (14 bilhões em estimativas oficiais).

A Petrobras chegou a tratar com a petroleira venezuelana (PDVSA) o acesso direto a parte destas reservas, em meio às negociações para compartilhar os investimentos na Refinaria de Pernambuco. Na época, a ideia era de que a PDVSA participasse dos investimentos na refinaria na mesma medida em que a Petrobras participaria da área exploratória naquela área. A negociação não foi adiante e apenas a PDVSA fará sua parte no Brasil.

Fonte:
Jornal do Commércio

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário