Dólar fecha a R$ 1,78; Bovespa perde 0,25%

Publicado em 08/03/2010 17:11 379 exibições

A taxa de câmbio brasileira encerrou a sexta sessão de negócios abaixo de R$ 1,80, praticamente estável sobre o valor da semana passada. Alguns profissionais de mercado avaliam que as cotações devem oscilar novamente mais perto de R$ 1,85, olhando as contas externas do país. A expectativa pelos novos IPOs (lançamentos de ações), no entanto, continua a funcionar com um "fator de baixa" para as cotações.

Investidores estrangeiros costuma ter participação maciça nessas operações -- acima de 70% do total captado, tradicionalmente.

Dessa forma, o dólar comercial foi vendido por R$ 1,788, em leve alta de 0,05%, nas últimas operações desta segunda-feira. Os preços da moeda americana oscilaram entre R$ 1,792 e R$ 1,722. Nas casas de câmbio paulistas, o dólar turismo foi cotado por R$ 1,900, em um aumento de 0,52% sobre o fechamento da semana passada.

Ainda aberta, a Bovespa (Bolsa de Valores de São Paulo) retrocede 0,25%, aos 68.672 pontos. O giro financeiro é de R$ 4,62 bilhões. Nos EUA, a Bolsa de Nova York opera estável.

O Ministério do Desenvolvimento reportou um superavit de US$ 500 milhões na primeira semana do mês. No acumulado do ano, o Brasil apresenta superavit comercial de US$ 727 milhões.

Entre outras notícias importantes do dia, o boletim Focus mostrou que a maioria do mercado financeiro revisou mais uma vez para cima suas expectativas para a inflação do ano, projetando um IPCA de quase 5% para 2010. A meta oficial de inflação para este ano é de 4,5%.

As expectativas do mercado foram reforçadas por dois índices de preços: o IGP-DI subiu 1,09% em fevereiro, ante uma variação de 1,01% em janeiro. Já a 1ª prévia de março do IPC-S teve alta de 0,88% na primeira leitura prévia deste mês, contra uma alta de 0,68% na divulgação anterior.

Em leilão realizado por volta das 15h30 (hora de Brasília), o Banco Central comprou moeda aceitando ofertas por R$ 1,7894 (taxa de corte).

Juros futuros

No mercado futuro de juros, que serve de referência para os juros bancários, as taxas projetadas subiram ao longo do dia, principalmente após a divulgação dos índices de preços. Perto do encerramento das operações, essas taxas cederam ficando praticamente estáveis em relação à semana passada.

No contrato que aponta os juros para outubro de 2010, a taxa prevista foi mantida em 9,90% ao ano; no contrato de janeiro de 2011, a taxa projetada permeneceu em 10,41%. Esses números são preliminares e podem sofrer ajustes.

Fonte:
Folha Online

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário