Bovespa fecha em alta de 0,59% e retoma nível dos 70 mil pontos

Publicado em 31/03/2010 18:15 419 exibições

Investidores foram às compras nas últimas horas do pregão desta quarta-feira e empurraram a Bolsa de Valores de volta ao patamar dos 70 mil pontos, o nível de preços mais alto desde 13 de janeiro. A Bovespa (Bolsa de Valores de São Paulo) conseguiu descolar das Bolsas americanas, onde imperou a frustração com os novos números do mercado de trabalho local.

No mês, a Bolsa de Valores acumula valorização de 5,82%; no ano, o ganho é de 2,60%.

O Ibovespa, principal índice de ações da Bolsa paulista, subiu 0,59% no fechamento, batendo os 70.371 pontos. O giro financeiro foi de R$ 6,47 bilhões. Nos EUA, a Bolsa de Nova York teve queda de 0,47%.

O dólar comercial foi vendido por R$ 1,781, em um decréscimo de 0,77%. A taxa de risco-país marca 184 pontos, número 2,20% acima da pontuação anterior.

"O fechamento de mês é sempre muito importante. Grandes investidores aproveitam para 'zerar posições'. E sempre há o interesse dos gestores de fundos em apresentarem um melhor desempenho das carteiras. Isto quer dizer que sempre há alguma 'distorção' no movimento desses dias", comenta Guilherme Mendes Franco, gerente da mesa de operações da corretora Corval. "Mas nós podemos dizer também que o mercado está com perspectivas um pouco mais positivas. Acho que o investidor 'comprou' os fundamentos da economia brasileira, que estão bons, na Bolsa", acrescenta.

A ação preferencial da Vale foi, de longe, o papel mais negociado da Bolsa, movimentando R$ 781 milhões no pregão de hoje. A mineradora conseguiu reajustar em quase 100% o preço do minério de ferro com alguns de seus clientes, o que chamou a atenção para suas ações, que valorizam com força ao longo deste ano. No último pregão do trimestre, investidores vendera o ativo em embolsar os ganhos e a cotação ficou estável em R$ 49,55.

Outro papel bastante influente na Bolsa, a ação preferencial da Petrobras, teve ganhos de 1,69%, com um volume financeiro de R$ 580 milhões.

Entre as principais notícias do dia, a consultoria privada ADP registrou uma destruição de 23 mil postos de trabalho no setor privado em março nos EUA. Economistas do setor financeiro contavam com uma geração de 40 mil vagas para este período.

E o Departamento de Comércio informou que as encomendas ao setor industrial nos EUA tiveram um incremento de 0,6% no mês de fevereiro, após um crescimento de 2,5% em janeiro. Uma parcela do mercado contava com um aumento de 0,5%.

O Banco Central brasileiro revelou que já projeta uma inflação de 5,2% para este ano. A meta oficial para 2010 é de 4,5%. O colegiado de diretores do BC (o Copom), que manteve a taxa de juros básica em 8,75% neste mês, volta a se reunir em abril. Economistas do setor financeiro acreditam num ajuste para 9,25%, mas uma parcela do mercado não descarta uma revisão para 9,50%.

Pesquisa Seade/Dieese apontou uma taxa de desemprego de 13% em fevereiro, ante 12,6% em janeiro. Trata-se da menor taxa para um mês de fevereiro em 12 anos.

Empresas

A companhia aérea TAM anunciou ontem à noite que teve um lucro líquido de R$ R$ 1,343 bilhão no ano passado, revertendo o prejuízo apresentado em 2008 (R$ 1,51 bilhão). A ação preferencial disparou 7,04% na Bovespa; a ação da rival Gol teve alta de 2,20%.

A OGX, empresa de petróleo do empresário Eike Batista, revelou mais uma descoberta de indícios de hidrocarboneto no poço conhecido como 'Fuji', na Bacia de Campos. A ação ordinária avançou 0,30% hoje, sendo um dos papéis mais negociados da Bolsa (R$ 184 milhões).

Fonte:
Folha Online

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário