Dilma e Serra começam o embate

Publicado em 01/04/2010 09:20 506 exibições
O presidente Luiz Inácio Lula da Silva deu posse, na manhã desta quarta-feira, em cerimônia no Palácio do Itamaraty, aos substitutos de dez ministros que deixam o governo para disputar as eleições de outubro, incluindo a ex-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, pré-candidata do PT na disputa pela presidência da República.

No seu discurso, em nome dos colegas que saem do governo, a ministra afirmou que não estava dizendo "adeus", mas "até breve". "Não vamos nos dispersar", completou, lembrando frase citada por Tancredo Neves, após ser escolhido presidente da República no Colégio Eleitoral, em 1985.

Os secretários-executivos vão ocupar a maior parte das pastas. Na disputa por espaço político, os partidos conseguiram manter seus domínios. Em pelo menos uma situação, a troca obedeceu a critérios políticos, em vez de técnicos.

O Ministério da Agricultura será ocupado pelo ex-deputado Wagner Rossi, ex-presidente da Conab, que substitui Reinhold Stephanes. O sucessor do ministro das Comunicações, Hélio Costa, que ainda não estava definido, será José Artur Filardi Leite, seu chefe de gabinete.

O ministro deve ser o candidato da base aliada ao governo do estado de Minas Gerais, embora os petistas Patrus Ananias e Fernando Pimentel, ex-prefeito de Belo Horizonte, também pleiteiem a vaga.

O vice José Alencar, cotado para disputar uma vaga de senador, vai continuar no cargo. No ministério da Integração Nacional, no lugar de Geddel Vieira Lima, que vai disputar o governo da Bahia, assume o então secretário-executivo João Santana.

As mulheres, que mantinham apenas dois ministérios - a Casa Civil e a Secretaria Especial de Políticas para Mulheres, com Nilcéia Freire -, serão titulares em cinco pastas.

No lugar de Dilma, assume Erenice Guerra. Para a vaga de Patrus Ananias, no Ministério de Desenvolvimento Social e Combate à Fome, entra Márcia Lopes; para a cadeira de Carlos Minc, do Meio Ambiente, a titular será Izabella Teixeira; e, no lugar de Edson dos Santos, da Igualdade Racial, entra Izabella Mônica Vieira Teixeira.

No Ministério de Minas e Energia, Edson Lobão (PMDB-MA) volta ao Senado e deve tentar a reeleição. Ele será substituído por Márcio Zimmermann. No Ministério da Previdência Social, José Pimentel deixa a vaga para Carlos Eduardo Gabas, que estava no cargo desde o início do governo Lula.

Alfredo Nascimento (PR-AM), que concorrerá ao governo do Amazonas, sai para entrar Paulo Sérgio Passos, que já ocupou o cargo de abril de 2006 a março de 2007.

Na segunda-feira, Lula pretende fazer uma reunião de trabalho com os novos ministros. A ordem, já expressa pelo presidente em alguns de seus discursos, é agilizar as obras, sobretudo as do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), principal marketing da campanha de Dilma, batizada por Lula de a "mãe do PAC".
Fonte:
Jornal do Comércio

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário