A Bovespa, o dólar e os mercados mundiais neste dia 4 de maio

Publicado em 04/05/2010 13:04 193 exibições

As preocupações com a economia europeia e o aperto monetário na China fazem as bolsas recuarem no mundo nesta terça-feira. Por volta das 12h30m, a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) perdia 2,81%, a 65.230 pontos. O volume negociado é de R$ 4,437 bilhões.

O dólar, por sua vez, avança 1,39%, para R$ 1,756.

O mercado brasileiro segue as bolsas americanas. O índice Dow Jones caía 2,04%, enquanto o Nasdaq recuava 3,03%. O S&P500 tinha desvalorização de 2,28%.

A despeito do anúncio do pacote de socorro de 110 bilhões de euros para a Grécia, o mercado está cauteloso com possíveis impactos na economia europeia.

Além disso, há preocupações com o terceiro aumento no depósito consultório da China este ano, anunciado nesta segunda-feira. Pesquisa divulgada nesta terça-feira na China mostra que o setor manufatureiro continua crescendo, mas a uma taxa mais moderada. O índice de gerentes de compra do HSBC, que mede o desempenho do segmento, ficou em 55,4 em abril, ante os 57 de março.

- O índice dos gerentes de compras da China mostra que o aumento do compulsório já está afetando as pequenas empresas. Há preocupação que o pacote para a Grécia não seja grande o suficiente e o medo de como a crise vai se espalhar por Espanha e Portugal. Tem notícia ruim de tudo quanto é lado. É um dia de perdas - afirma o estrategista-chefe da SLW Corretora, Pedro Galdi.

No Brasil, o principal indicador divulgado foi a produção industrial de março. Segundo o IBGE, a atividade da indústria avançou 2,8% na passagem entre fevereiro e março. Frente a março de 2009, a alta foi de 19,7%.

Já o Itaú Unibanco anunciou um lucro líquido de R$ 3,2 bilhões no primeiro bimestre do ano, uma alta de 60,5% frente a igual período de 2009 , e o maior resultado já registrado por um banco brasileiro no período, segundo estudo da consultoria Economatica.

Os papéis da Petrobras mantém a desvalorização registrada ontem, após o anúncio do novo modelo para a capitalização da empresa. Por volta de 12h30m, Petrobras PN recuava 3,17%, a R$ 30,50, porém mais cedo a queda chegava a quase 5%.

Segundo Pedro Galdi, a incerteza sobre o plano da empresa contribui para o recuo das ações da empresa, mas o mercado também aproveita o momento para vender as ações e depois comprar na baixa.

- Sempre que uma empresa faz emissões, usa o preço da média da cotação em determinados períodos. O mercado vende agora para ganhar lá na frente - explicar o estrategista-chefe da SLW Corretora.

Leia mais: Capitalização da Petrobras sairá até julho, diz Gabrielli

Vale PNA registrava queda de 3,68%, a R$ 43,69; e Gerdau PN se desvalorizava em 1,71%, para R$ 27,47.

Na Europa, as bolsas operam em queda. O índice FTSE 100, de Londres, recuava 2,39% por volta do meio-dia (horário de Brasília), enquanto o DAX, de Frankfurt, perdia 2,52%. A bolsa de Madri tinha desvalorização de 5,29%.

Ásia em queda

As bolsas da Ásia encerraram em queda a sessão desta terça-feira. Pesaram sobre os negócios o crescimento menor da atividade manufatureira na China e a decisão da autoridade monetária chinesa de ampliar a alíquota do depósito compulsório de bancos, pela terceira vez neste ano.

O Shanghai Composite, de Xangai, declinou 1,23%. Em Hong Kong, o Hang Seng teve retração de 0,23%. O Kospi, de Seul, caiu 0,14%. Vale lembrar que o mercado em Tóquio não funcionou por conta de feriado.

Fonte:
O Globo

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário