PR: Balança comercial do Estado volta a ficar positiva

Publicado em 04/05/2010 13:07 171 exibições

Pela primeira vez desde setembro do ano passado, a balança comercial paranaense fechou um mês (março) com saldo líquido positivo. Graças às vendas ao exterior, que superaram a marca de US$ 1 bilhão pela primeira vez desde agosto, o saldo estadual de exportações menos importações de março, divulgado ontem pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), ficou em US$ 226 milhões.

Mesmo assim, os resultados ruins de janeiro e fevereiro fizeram com que o saldo da balança comercial no primeiro trimestre ficasse negativo pela primeira vez, pelo menos desde 2003, em US$ 77,7 milhões.

Em março, as exportações paranaenses totalizaram US$ 1,150 bilhão. O valor é 62,5% superior ao de fevereiro e 34,5% maior que o de março de 2009. Enquanto isso, as importações atingiram US$ 924 milhões, crescendo 14,2% em relação a fevereiro e 37,8% ante março de 2009.

Com o resultado de março, as exportações do Estado, no primeiro trimestre do ano, acumularam US$ 2,564 bilhões, aumentando 16,63% em relação ao mesmos meses de 2009.

Os produtos do chamado “complexo soja” foram o destaque do trimestre: mesmo com uma queda de 4,72% no valor exportado, na comparação com o mesmo período de 2009, o grupo voltou a ser o mais importante nas exportações do Paraná, respondendo por 19,34% das vendas.

Prejuízo

Na opinião do economista Roberto Zurcher, do Departamento Econômico da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep), há sinais de que o saldo negativo no ano será revertido, já que em abril os números novamente deverão ser positivos.

Porém, outro fato traz preocupação para o Estado: se o Paraná exportou mais em dólares, na conversão para reais a receita diminuiu 9,2% na comparação com o mesmo período do ano passado, fechando em R$ 4,615 bilhões. O motivo é a valorização da moeda brasileira frente à norte-americana.

O economista, que analisou os números do MDIC, afirmou que tanto o saldo negativo do trimestre, como a queda na receita em reais, são preocupantes. “Ainda mais quando vermos o que estamos importando, que são bens de consumo, ou seja, produtos prontos. Isso ao mesmo tempo em que as exportações estão prejudicadas por conta do câmbio”, afirma.

Zurcher lamenta o fato de que muitos produtos, que hoje são importados, poderiam ser produzidos no Paraná. “É o caso do óleo e outros derivados da soja, por exemplo”, diz.

Em relação ao câmbio, ele lembra que a única saída, enquanto o real está valorizado frente a moedas estrangeiras, é as indústrias aumentarem a competitividade dos produtos em nível internacional.

Nacional

Ainda ontem, o MDIC informou que o superávit comercial do País chegou a US$ 1,283 bilhão em abril. Apesar de ser o saldo mensal mais alto deste ano, na comparação com abril de 2009 (US$ 3,693 bilhões), o resultado é 65,2% menor.

Em abril deste ano, as exportações somaram US$ 15,161 bilhões e as importações, US$ 13,878 bilhões. De janeiro a abril, o superávit comercial foi de US$ 2,175 bilhões, saldo 67,4% menor do que o observado no mesmo período de 2009 (US$ 6,681 bilhões). Nos quatro meses do ano, as exportações somaram US$ 54,390 bilhões e as importações, US$ 52,215 bilhões.

Fonte:
Paraná Online

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário