Governo anuncia recursos no Grito da Terra Brasil

Publicado em 13/05/2010 09:08 280 exibições
O 16º Grito da Terra Brasil realizado ontem em Brasília com mais de 7 mil pessoas teve consolidadas políticas públicas conquistadas ao longo das edições anteriores. Além da continuidade da garantia de recursos para os financiamentos de custeio e investimento no Plano Safra 2010/2011, na ordem de R$ 16 bilhões, anunciada pelo presidente Luiz Inácio Lula as Silva, houve a garantia da comercialização através de recursos de R$ 1 bilhão, disponibilizados no Programa de Garantia de Preços Mínimos (PGPM) e também no Programa de Aquisição de Alimentos (PAA). Serão 20% dos recursos oriundos do Ministério da Agricultura destinados à aquisição de alimentos da agricultura familiar para doação simultânea ou formação de estoques. A Confederação dos Trabalhadores na Agricultura (Contag) havia apresentado em março um documento ao presidente contendo as reivindicações. De acordo com o presidente da entidade, Alberto Brochr, foram 220 itens em pauta.

O diretor-tesoureiro da Fetag-RS, Amauri Miotto, informou que foram anunciados ainda recursos do Ministério do Desenvolvimento Social da ordem de R$ 2 bilhões, totalizando cerca de R$ 20 bilhões para plantio, investimento e comercialização da agricultura familiar. O dirigente lembra que a renda era a principal reivindicação dos pequenos produtores.

Outra medida anunciada pelo governo foi a duplicação do limite de financiamento do crédito para aquisição de terras, passando de R$ 40 mil para R$ 80 mil, e ampliação do limite de financiamento do programa Mais Alimentos de R$ 100 mil para R$ 130 mil, conforme antecipado durante a Agrishow, em Ribeirão Preto. Para o dirigente da Fetag, houve o reconhecimento da agricultura familiar como uma atividade de interesse social.

O presidente da Fetag, Elton Weber, conta que a delegação gaúcha levou 300 lideranças, sendo a metade de mulheres e jovens. Ele defendeu que o governo realize questões concretas da agricultura familiar, mas que também implemente os programas já existentes. Durante todo o dia milhares de trabalhadores rurais chegaram à Esplanada dos Ministérios, em Brasília. Às 10h30min, ocorreu ato público em frente ao Ministério do Desenvolvimento Agrário. Uma hora depois, o presidente Lula recebeu a comissão da Contag e das Fetags. À tarde, houve passeata até o Ministério do Trabalho e Emprego para cobrar do ministro Carlos Luppi agilidade para os processos de registro sindical e o posicionamento do governo federal contra a prática de divisionismo sindical no campo.

Fonte:
Porto Gente

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

1 comentário

  • Telmo Heinen Formosa - GO

    Achei que foi uma beleza. Vi no discurso deles, finalmente cairam na realidade, nem com juro ZERO dão conta de pagar seus empréstimos. Isto comprova de que é pura balela produzir comida a qualquer custo. E tem outra, o IBGE comprovou estatisticamente de que METADE dos brasileiros que passam fome segundo o critério deles lá.... são agricultores!

    0