Brasil já tem estratégia para retaliar barreiras da Argentina

Publicado em 27/05/2010 15:47 310 exibições
Um contra-ataque do Brasil já estaria preparado, caso persistam cancelamentos de importações de alimentos industrializados da Argentina. O secretário de Comércio Exterior do Ministério do Desenvolvimento, Welber Barral, afirmou nessa quarta, dia 27, que, apesar das novas barreiras argentinas contra a importação de alimentos ainda não terem sido anunciadas oficialmente, o Brasil tem meios para retaliar o país vizinho.

– A visão do governo brasileiro nas relações internacionais é de reciprocidade – disse Barral. – O Brasil tem um mecanismo eletrônico de controle de importações. É um botão.

O instrumento a ser usado caso haja a imposição de barreiras por parte da Argentina deverá ser a aplicação de licenças não automáticas de importação, que alongam a burocracia para a entrada de produtos no país.

Barral, no entanto, ressaltou que a suposta proibição de importação de alimentos com produção similar na Argentina – que deveria entrar em vigor no próximo dia 1º – ainda não foi anunciada oficialmente pela presidente Cristina Kirchner. Até agora houve apenas uma declaração do secretário de comércio interior argentino, Guillermo Moreno.

– Não é porque o sub do sub do sub teve uma ideia mirabolante que vamos sair tomando medidas – disse Barral.

Para o secretário, as autoridades argentinas deveriam evitar uma situação de embate no comércio de alimentos, uma vez que o Brasil exporta apenas cerca de US$ 500 milhões por ano para o país vizinho, enquanto importa mais de US$ 2 bilhões em produtos do parceiro nesse segmento.

Apesar das constantes reclamações de exportadores brasileiros sobre o que está acontecendo na fronteira, o governo ainda não detectou anormalidade no comércio bilateral.

Ainda assim, há duas semanas o embaixador brasileiro no país, Enio Cordeiro, transmitiu à chancelaria argentina as preocupações do Itamaraty sobre a questão.
Fonte:
Zero Hora

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário