Perspectivas de crescimento para Cooperativas de crédito

Publicado em 07/06/2010 09:27 804 exibições
Foram positivas para o cooperativismo de crédito as medidas aprovadas nesta semana pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), de acordo com o presidente da Organização das Cooperativas do Estado de Santa Catarina (Ocesc), Marcos Antônio Zordan.

Essas inovações permitirão aumentar a concorrência com o sistema bancário, reduzir o custo dos empréstimos e ampliar a presença no sistema financeiro nacional. No início, as cooperativas de crédito só se podiam constituir em regiões com pequena população, onde não existiam agências de bancos oficiais ou comerciais. Agora, poderão se instalar em cidades grandes.  Para isso, terão de cumprir a exigência de um capital mínimo de 25 milhões de reais, o que levará à diminuição do lançamento de novas cooperativas.

As novas cooperativas, cuja aprovação estará a cargo do Banco Central, terão de atender a alguns requisitos básicos, como a comprovação de vínculo entre os cooperados o que levará a constituição de cooperativas muito fortes, que, a exemplo dos fundos de pensão de hoje, terão um grande peso econômico, podendo enfrentar as instituições financeiras privadas.
Até agora as cooperativas de crédito não tinham peso para influenciar a política credíticia.
O presidente da Ocesc julga possível que as novas medidas, que entrarão em vigor só em 31 de março de 2011, possibilitem um avanço no tocante aos créditos para pessoas físicas, que até o momento são quase monopólio dos bancos. Será uma nova fonte de expansão de crédito, que fará concorrência apenas ao crédito vinculado à folha de pagamento das empresas.   
 
Em Santa Catarina funcionam 72 cooperativas que reúnem meio milhão de cooperados (associados) e mantêm 2.993 empregados.  O faturamento cresceu 14% em 2009, atingindo o valor de R$ 765.589.423,00, cujos resultados finais proporcionaram a elevação de 35% do patrimônio líquido, que atingiu R$ 877.889.546,00.

O sistema cooperativista teve origem na Inglaterra, em 1844, na cidade de Rochdale, com uma cooperativa de consumo. Foi na Alemanha que apareceu, em 1847, a primeira cooperativa de crédito. No Brasil, a pioneira foi a Cooperativa dos Funcionários Públicos de Ouro Preto, fundada em 1889. Atualmente existem 1.300 cooperativas no País: de crédito mútuo, de crédito urbano, de crédito profissional, de classe ou de empresa, e cooperativas mistas, com seção de crédito. No entanto, sua participação na distribuição do crédito ainda é muito limitada: 0,46% dos empréstimos a pessoa física e 5,8% dos créditos rurais na esfera nacional.

Fonte:
MB Comunicação

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário