Serra critica MST e promete seguro rural em sabatina da CNA

Publicado em 01/07/2010 16:38 399 exibições
O candidato José Serra (PSDB) participou hoje da sabatina realizada pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), em Brasília. As outras candidatas à presidência, Marina Silva (PV) e Dilma Rousseff (PT), foram convidadas pela entidade, mas recusaram o convite. O ex-governador de São Paulo fez promessas de campanha e criticou o Movimento dos Sem-Terra (MST).

Ao comentar uma das críticas feitas pela CNA sobre insegurança jurídica, o ex-governador de São Paulo afirmou que o “MST é um movimento que se diz de reforma agrária quando na verdade usa a idéia para uma mudança de natureza revolucionária socialista no Brasil. Não quero reprimir, não. Só sou contra que usem dinheiro do governo para isso, não dá". Ele falou ainda que "ao governo não compete dar dinheiro para os diferentes movimentos de forma disfarçada. É importante a gente mostrar qual é a motivação para isso. Na verdade, não é reforma agrária".

Além de criticar o movimento, que é fortemente condenado pela CNA, Serra também evitou entrar na polêmica da briga entre ambientalistas e os produtores rurais. Foi pedido a ele que colocasse em ordem de prioridade os conceitos de: produção agrícola; riqueza nacional; preservação na natureza; defesa da propriedade; e bem estar da sociedade. "Em nenhuma ordem. Em que ordem você coloca coração, estômago, rins, fígado. Se você descobrir como viver sem nenhum deles".

Serra também lançou críticas às altas taxas tributárias, à política de juros e ao baixo investimento em infraestrutura. "O Brasil tem hoje recordes mundiais. O primeiro é taxa de juro real. Nós somos o primeiro do mundo há muito tempo, entra governo sai governo", disse. "Outro problema é o baixo investimento governamental. Turcomenistão, pelo que eu sabia, era o último país em taxa de investimento. O penúltimo era o Brasil."

Em tom de campanha, prometeu implantar o defensivo genérico no Brasil e o seguro rural. "Preços garantidos no Brasil que funcionem. Isso vai ser feito. Não precisa anotar porque está gravado. Isso vai ser feito. Nós vamos fazer isso", disse, recebendo os primeiros aplausos da plateia.

Fonte:
Redação NA

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário