Bovespa mantém alta apesar de dados negativos nos EUA; dólar vale R$ 1,78

Publicado em 19/07/2010 15:10 251 exibições

A Bovespa (Bolsa de Valores de São Paulo) permanece no campo positivo desde o início dos negócios desta segunda-feira. Nos Estados Unidos, as Bolsas perderam parte de seus ganhos após a divulgação de dados sobre a piora de confiança das construtoras no país.

O Ibovespa, termômetro dos negócios da Bolsa paulista, valoriza 0,81% aos 62.847 pontos. O giro financeiro é de R$ 4,52 bilhões. Nos EUA, o índice Dow Jones (da Bolsa de Nova York), sobe 0,33%.

Na Europa, as Bolsas de Valores europeias fecharam a segunda-feira em baixa, com o aumento da preocupação sobre o ritmo de recuperação da economia norte-americana e ofuscaram as expectativas de um repique na atividade de fusões e aquisições. A Bolsa de Londres caiu 0,20%, enquanto a Bolsa de Frankfurt teve queda de 0,51%.

O vencimento de opções sobre ações infla o volume financeiro da Bolsa e tende a aumentar a volatilidade dos negócios.

O dólar comercial é vendido por R$ 1,786, em um acréscimo de 0,22%. A taxa de risco-país marca 221 pontos, número 1,77% abaixo da pontuação anterior.

A Nahb (Associação Nacional de Construtores de Casas, na sigla em inglês) divulgou hoje que o índice de confiança das construtoras nos Estados Unidos caiu dois pontos, para 14, o patamar mais baixo desde abril de 2009. Foi a segunda queda consecutiva no número.

Além disso, a agência de classificação financeira Moody's baixou a nota soberana da Irlanda de "Aa1" a "Aa2" devido ao aumento de sua dívida e de suas poucas perspectivas de crescimento. A Moody's mencionou alguns fatores para justificar sua decisão, começando pela degradação das finanças públicas.

Ainda na Europa, o saldo de transações correntes na zona do euro ficou negativo em 5,8 bilhões de euros em maio.

No noticiário doméstico, o boletim Focus, elaborado pelo Banco Central, apontou queda da estimativa do mercado neste ano para a inflação oficial, o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor), que foi reduzida de 5,45% para 5,42%. Já para 2011, a previsão foi mantida em 4,80%.

O Ministério do Desenvolvimento informou que a balança comercial do país teve saldo positivo de US$ 391 milhões na terceira semana de julho (de 12 a 18), resultado de exportações de US$ 4,192 bilhões e importações de US$ 3,801 bilhões. Na segunda semana, o superavit foi de US$ 722 milhões.

A Petrobras divulgou que a produção média de petróleo e gás natural no Brasil e no exterior em junho foi de 2,563 milhões de barris de óleo equivalente diários (boed), aumento de 2,3% sobre o mesmo mês de 2009.

Fonte:
Folha Online

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário