Bovespa reduz ritmo de baixa e cai 0,25%; dólar vai a R$ 1,75

Publicado em 20/08/2010 16:12 304 exibições

A Bovespa (Bolsa de Valores de São Paulo) mantém a tendência de queda nesta tarde, mas em ritmo menor que no início do dia, em meio à desvalorização nos mercados internacionais. Dando continuidade ao movimento de vendas da véspera, em um dia de agenda fraca, os índices operam em baixa desde o início do dia.

O índice Ibovespa, que reflete os preços das ações mais negociadas, cai 0,25%, aos 66.728 pontos. Na quinta-feira, a Bovespa fechou em queda de 1,11%. Nos Estados Unidos, o Dow Jones cede 0,49%.

O dólar comercial registra alta de 0,11%, em R$ 1,759. A taxa de risco-país marca 199 pontos, número 0,99% abaixo da pontuação anterior.

O mercado hoje encontra poucas razões para ir às compras. Não há relatórios na agenda que possam reduzir o impacto negativo das notícias sobre a redução do ritmo de crescimento da economia divulgadas na quinta-feira.

Além disso, números anunciados ontem mostraram que o número de pedidos iniciais de auxílio-desemprego nos EUA subiu para 500 mil na semana passada, atingindo o maior nível em nove meses.

No início deste ano, os investidores mostravam preocupações com o ritmo de recuperação da economia europeia, que poderia afetar a retomada global. Agora, os relatórios econômicos voltam esses temores para a economia dos Estados Unidos.

Dados mostram que o setor privado está receoso em contratar novos funcionários, por conta das incertezas sobre a força dos negócios nos próximos meses. Isso tem feito com que as pessoas se preocupem com a manutenção de seus empregos e gastem menos. Mas até que o consumo das famílias se eleve, o desemprego pode continuar alto.

Ainda nesta sexta, o Departamento do Tesouro publicou dados que evidenciam o fracasso do programa federal de ajuda aos proprietários de imóveis em dificuldades nos Estados Unidos. De acordo com os dados, cerca de 48% (630 mil) dos 1,3 milhão de proprietários que tinham obtido a redução -- provisória ou permanente -- das cotas de empréstimos com a ajuda do Estado, tiveram o procedimento anulado.

O Tesouro identificou três razões principais para isso: incapacidade do proprietário para cumprir seus compromissos financeiros, ausência de certos documentos ou irregularidades (a casa não era a única residência ou as declarações de renda eram falsas).

Entre as notícias do dia no Brasil, o IPCA-15, prévia da inflação oficial, registrou deflação de 0,05 em agosto. A desaceleração ocorre pelo segundo mês seguido, após ter recuado 0,09% em julho, de acordo com a pesquisa divulgada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Fonte:
Folha Online

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário