Caráter Irrevogável: Erenice Guerra encaminha sua carta de demissão ao Presidente Lula

Publicado em 16/09/2010 14:03 e atualizado em 16/09/2010 14:44
414 exibições

Não consultou ninguém

A carta de demissão de Erenice Guerra foi escrita inteiramente por Franklin Martins. Já a desastrosa nota oficial que a ex-ministra, em que atacou José Serra, qualificando-o de aético e derrotado, foi de sua própria lavra e não foi mostrada nem aos seus advogados.

Lula e suas escolhas para a Casa Civil

Saldo de governo Lula até agora: dos seus três ministros da Casa Civil, dois saíram por denúncias de corrupção; e uma é a favorita para virar presidente da República

Especialização a calhar?

Um dos cursos que Erenice Guerra, a chefe da Casa Civil que pediU demissão oficialmente, possui é de Direito Sanitário. Com tanto esgoto a céu aberto vem mesmo a calhar

Por Lauro Jardim

LEIA A CARTA DE DEMISSÃO DE ERENICE

Há pouco, Marcelo Baumbach, porta-voz da Presidência da República, leu a carta de demissão de Erenice Guerra que foi encaminhada ao presidente Luiz Inácio Lula da silva. No documento, a ex-ministra da Casa Civil diz ter se surpreeendido com as notícias divulgadas pela imprensa que contêm acusações a ela e a sua família. Além disso, classifica as acusações como "mentirosas" e disse ainda que tem dedicado boa parte de seu tempo para responder a cada uma delas.

O porta-voz informou, após a leitura da carta, que que assume a pasta interinamente é o secretário-executivo da Casa Civil, Carlos Eduardo Esteves Lima.

Leia abaixo a íntegra da carta de demissão de Erenice Guerra:

 "Senhor Presidente

Nos últimos dias, fui surpreendida por uma série de matérias vinculadas por alguns órgãos da imprensa contendo acusações que envolvem familiares meus e um ex-servidor lotado nesta pasta, tenho respondido uma a uma, buscando esclarecer o que se publica e principalmente a verdade dos fatos, defrontando-me com toda a sorte de afirmações, ilações e mentiras que visam a desacreditar o meu trabalho e atingir o governo ao qual sirvo.

Não posso, não devo e nem quero furtar-me a tarefa de esclarecer todas essas acusações nem posso deixar qualquer dúvida pairando acerca da minha honradez e da seriedade com a qual me porto no serviço público. Nada fiz e permiti que se fizesse ao longo de 30 anos de minha trajetória pública que não tenha sido um estrito cumprimento dos meus deveres. Prova irrefutável dessa minha postura, é que já solicitei à Comissão de Ética a abertura de procedimento para esclarecimento dos fatos aleivosamente contra mim levantados. À Controladoria-Geral da União (CGU), a auditagem dos atos relativos à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), dos Correios e da contratação de parecer jurídico da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), além de solicitar ao Ministério da Justiça a abertura dos procedimentos que se fizerem necessários no âmbito daquela pasta para também esclarecer os citados fatos.

No entanto, mesmo com todas essas medidas por mim adotadas, inclusive com a abertura dos meus sigilos telefônico, bancário e fiscal, a sórdida campanha para desconstituição da minha imagem, do meu trabalho e da minha família continuou implacável. Não apresentam uma única prova sobre minha participação em qualquer dos pretensos atos levianamente questionados, mas mesmo assim estampam, diariamente, manchetes cujo único objetivo é criar e alimentar artificialmente um clima de escândalo. Não conhecem limites.

Senhor presidente, por ter formação cristã, não desejo nem para o pior dos meus inimigos que ele venha a passar por uma campanha de desqualificação como a que se desencadeou contra mim e minha família. As paixões eleitorais não podem justificar esse vale-tudo. Preciso agora de paz e tempo para defender a mim e a minha família, fazendo com que a verdade prevaleça, o que se torna incompatível com a carga de trabalho que tenho a honra de desempenhar na Casa Civil.

Por isso, agradecendo a confiança de vossa excelência ao designar-me para a honrosa função de ministra-chefe da Casa Civil da República, solicito em caráter irrevogável que aceite meu pedido de demissão. Cabe-me daqui por diante a missão de lutar para que a verdade dos fatos seja restabelecida.

Brasília, 16 de setembro de 2010"


Fonte: Redação NA e Blog Lauro Jardim

1 comentário

  • Magid Elie Khouri Goiânia - GO

    E agora José? Que quadrilha! O balcão de negócios fica a exatamente 22,3m do gabinete do Presidente. Quer apostar? Ele vai dizer que não sabia, como sempre! Essa, de caráter irretratável e irrevogável é conversa para "boi dormir", ela foi despedida por telefone! Ai ela fez que não entendeu, ai o Lula mandou um emissário- Entendeu agora "mulher de ferro 2" ou quer que eu faço um desenho? Não percebe que esta sujando a barra da campanha da "mulher de ferro 1"? Caia fora logo! Pediram R$ 5.000.000,00 de propina, quase que não consigo escrever essa cifra. E o pior, trata-se de dinheiro para pagar uma dívida das duas. E eu que não consigo dormir porque estou devendo uma conta na CNA de R$ 125,00. Que Deus ilumine o nosso povo!

    0