Presidente do PT-SP admite que caso Erenice e aborto levaram eleição para 2º turno

Publicado em 06/10/2010 10:00
175 exibições
Presidente do PT em São Paulo e integrante da coordenação da campanha de Dilma Rousseff à Presidência, Edinho Silva admite que denúncias contra Erenice Guerra, ex-ministra da Casa Civil, e polêmicas quanto a posição da petista sobre aborto foram determinantes para o segundo turno nessas eleições.

Em entrevista à Folha, Edinho afirma que denúncias de corrupção no governo federal interromperam a trajetória de Aloizio Mercadante, candidato do PT ao governo do Estado, derrotado por Geraldo Alckmin (PSDB).
Fonte: Folha Online

Nenhum comentário