Alimentos pressionam IPCA, núcleos sobem mais

Publicado em 07/10/2010 14:12
255 exibições

 A inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) acelerou em setembro, devido à primeira alta de custos dos alimentos após três meses de queda em razão da crise agrícola na Rússia e do avanço das commodities.

O indicador subiu 0,45 por cento em setembro, o maior patamar desde abril e acima da variação positiva de 0,04 por cento em agosto, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quinta-feira. O número ficou exatamente em linha com a previsão de analistas consultados pela Reuters.

Segundo cálculos de economistas, a média dos três núcleos do IPCA teve aumento de 0,40 por cento em setembro, ante 0,21 por cento em agosto.

"É uma inflação causada por questões climáticas com repercussão no mercado interno brasileiro", disse a jornalistas a economista do IBGE, Eulina Nunes dos Santos.

"O problema da Rússia e da commodities já vinha ocorrendo e chegou ao consumidor em setembro", acrescentou ela ao se referir à quebra na safra de trigo na Rússia, um dos maiores produtores mundiais do grão.

Os preços do grupo Alimentação e bebidas subiram 1,08 por cento em setembro, contribuindo com 0,24 ponto percentual para o IPCA do mês.

Dentro desse grupo, o destaque ficou com as carnes, com elevação de 5,09 por cento e a maior contribuição individual de alta do mês, de 0,11 ponto percentual. Outros aumentos foram de açúcar cristal, óleo de soja, frutas, farinha de trigo, frango. Pães, massas e biscoitos -que usam o trigo como insumo- também aceleraram.

Sobre as carnes, Eulina disse que "apesar de a safra desse ano ser muito grande, o que puxa os alimentos é o cenário internacional. Há problemas internos, como seca e estiagem, que fazem os pastos ficarem ruins e os custos aumentarem com a compra de milho e ração para o gado".

"Milho, trigo e rações estão subindo no mercado internacional devido ao problema de produção na Rússia."

No ano, os alimentos acumulam alta de 4,61 por cento, acima da variação de todo o ano de 2009, de 3,18 por cento, representando um terço da taxa do IPCA do período.

Outros grupos que contribuíram para a aceleração da inflação foi Habitação, com aumento de 0,40 por cento em setembro ante 0,23 por cento em agosto, e Vestuário, com alta de 0,45 por cento ante 0,17 por cento antes.

Fonte: Reuters/ Brasil Online

Nenhum comentário