Bovespa sobe 1,08% com cena externa positiva; dólar marca R$ 1,67

Publicado em 20/10/2010 13:50
191 exibições

O mercado brasileiro de ações segue de perto a valorização das Bolsas americanas e europeias, no dia seguinte ao "susto" com o aperto monetário chinês.

Enquanto uma parcela dos analistas ressalta que o aumento dos juros indica que o gigante asiático ainda cresce a taxas muito robustas, outros preferiram ressaltar que a medida aumenta as incertezas sobre o ritmo de recuperação da economia global.

O índice Ibovespa, que reflete os preços das ações mais negociadas, valoriza 1,08%, aos 70.618 pontos. O giro financeiro é de R$ 2,42 bilhões. Nos EUA, o índice Dow Jones, da Bolsa de Nova York, sobe 1,09%.

O dólar comercial é cotado por R$ 1,675, em um declínio de 0,71%. A taxa de risco-país marca 185 pontos, número 2,63% abaixo da pontuação anterior. O Banco Central já realizou o primeiro leilão para compra de dólares, tomando moeda por R$ 1,6772 (taxa de corte).

Entre as primeiras notícias do dia, a FGV apontou uma inflação de 0,89% em outubro, ante 1,03% em setembro, pela leitura do IGP-M, ainda em sua segunda estimativa prévia do mês. Já o IBGE registrou uma inflação de 0,62% neste mês, contra 0,31% no período anterior, conforme o IPCA-15, visto como uma projeção do IPCA, utilizado para o regime de metas do governo.

No front corporativo, o banco Wells Fargo reportou um lucro de US$ 3,3 bilhões, acima dos US$ 3,2 bilhões registrado no terceiro trimestre do ano passado. Já o Morgan Stanley, outra importante instituição financeira, comunicou um prejuízo líquido de US$ 91 milhões no trimestre passado. Um ano antes, havia contabilizado um lucro de US$ 498 milhões. A brasileira Natura publica seu balanço trimestral ainda hoje, depois do encerramento da Bolsa.

A agenda econômica externa tem como destaque o famoso "Livro Bege", relatório fundamental sobre a economia americana elaborado pelo banco central dos EUA, quase no final da tarde (16h, hora de Brasília).

Após o encerramento dos mercados, o Copom (Comitê de Política Monetária) anuncia a nova taxa básica de juros do país. A maior parte dos economistas projeta a manutenção em 10,75% ao ano.

Fonte: Folha Online

Nenhum comentário