Preços Agropecuários: Alta de 2,34% na segunda quadrissemana de novembro

Publicado em 22/11/2010 12:45 173 exibições

O IqPR – Índice Quadrissemanal de Preços Recebidos pela Agropecuária Paulista registrou alta de 2,34% na segunda quadrissemana de novembro, de acordo com o Instituto de Economia Agrícola – IEA/Apta, da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo. Os produtos que registraram as maiores altas foram: carne bovina (13,73%), batata (12,74%), café (8,30%), amendoim (8,25%) e soja (6,82%).

Para carne bovina, as cotações continuam em ascensão em função da entressafra, pois o período de seca produziu forte impacto nas pastagens e reduziu a oferta de animais para o abate, afirmam os pesquisadores José Alberto Ângelo, José Sidnei Gonçalves, Luis Henrique Perez, Danton Leonel de Camargo Bini e Eder Pinatti, autores da pesquisa.

No caso da batata, ocorrem viradas expressivas de tendência em função da realidade pontual do mercado. Essa menor oferta produziu o significativo aumento verificado nas últimas semanas. Problemas climáticos nas regiões produtoras, como a seca prolongada deste meio de ano no Sudeste Brasileiro, aumentaram os custos de produção e diminuíram a oferta de café, elevando seus preços no período analisado.

No amendoim, o ajuste decorrente de uma situação de menor oferta, aliado às pressões de demanda formam expectativas altistas. Os preços da soja estão pressionados pela demanda chinesa e de outras nações importadoras associadas à menor disponibilidade norte-americana para vendas externas, o que vem afetando o comportamento dos preços internacionais.
           
Os produtos que apresentaram maiores quedas de preços no foram: feijão (24,50%), tomate para mesa (20,93%), carne de frango (9,32%), leite C (5,93%) e laranja para indústria (5,16%).

Os preços do feijão apresentaram queda porque ocorreu a entrada de volumes expressivos da produção irrigada. Já a redução dos preços do tomate se deve às condições climáticas favoráveis, aliadas à consistente base técnica, que juntas constituem fatores de aumento da produção.

Os preços da carne de frango subiram no período anterior, reagindo a preços muito baixos. Entretanto, a redução da competitividade no mercado externo pela valorização cambial, elevou a oferta interna ocasionando a queda dos preços no mercado nacional.

Para o leite, a entrada no período de safra, apesar de não ocorrer com um aumento expressivo na produção, impactou na redução dos preços recebidos, com maior impacto para o tipo "C". Para o próximo período a expectativa é de estabilidade destes valores.

Nos contratos de laranja para indústria os preços recuam acompanhando o câmbio, manifestando-se inferiores aos da laranja in natura, como reflexo da predominância de contratos que acabam dando maior estabilidade aos preços e que atenuam tanto movimentos de alta (como é o caso) como de baixa (igual em conjunturas anteriores).
   

Fonte:
Secr. de Agr. de SP

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário