Bovespa mantém recuperação e dólar atinge R$ 1,71; Mercado avalia China e EUA

Publicado em 10/12/2010 13:11 266 exibições

O mercado brasileiro de ações se mantém no terreno positivo, enquanto os investidores pesam as notícias vindas dos EUA e da China. O gigante asiático informou um forte aumento das importações, o que já puxa os preços de algumas commodities metálicas para seus preços históricos. Pequim também anunciou uma nova medida para restringir a circulação de dinheiro na economia, o que para alguns, reduz as chances de uma alta dos juros no curto prazo, perspectiva que assombra os mercados há semanas. Já nos EUA, o deficit comercial caiu ficou abaixo das expectativas.

O índice Ibovespa, que reflete os preços das ações mais negociadas, valoriza 0,23%, aos 68.034 pontos. O giro financeiro é de R$ 1,80 bilhão. Nos EUA, o índice Dow Jones, da Bolsa de Nova York, tem leve baixa de 0,03%.

O dólar comercial é cotado por R$ 1,717, em alta de 0,46%. A taxa de risco-país marca 165 pontos, número 0,60% abaixo da pontuação anterior.

O foco das notícias é a China. Mais cedo, Pequim informou que o volume exportado cresceu 34,9% enquanto as importações aumentaram 37,7% no mês passado. O superavit comercial encolheu pouco mais 15% na comparação com outubro, para US$ 22,89 bilhões.

E em mais uma medida de contenção da economia, o governo chinês elevou mais uma vez a taxa de recolhimento obrigatório dos depósitos bancários para a marca histórica de 19%. A iniciativa é uma estratégia clássica para retirar dinheiro de circulação, refrear o consumo e assim, combater a inflação.

O mercado aguarda para este final de semana a divulgação do índice de preços ao consumidor neste país asiático. Em outubro, a inflação chinesa atingiu 4,4% em outubro (taxa anualizada) e para novembro, analistas do setor financeiro preveem um número bem mais próximo de 5%.

Nos EUA, o Departamento de Comércio apontou que o deficit da balança comercial encolheu de US$ 44,6 bilhões em setembro (dado revisado) para US$ 38,7 bilhões em outubro. Economistas do setor financeiro projetavam um saldo negativo na casa dos US$ 43 bilhões.

E uma sondagem da Universidade de Michigan indicou que os consumidores americanos estão um pouco mais confiantes na economia: o índice elaborado a partir de entrevistas com trabalhadores atingiu a marca de 74,2 pontos neste mês ante 71,6 em novembro. Analistas de bancos e corretoras estimavam um nível em torno de 72 pontos.

BRASIL

O IBGE revelou que o nível de emprego no setor industrial se manteve inalterado entre os meses de setembro e outubro, enquanto mostrou expansão de 4,2% sobre o décimo mês do ano passado. Já a folha de pagamento dos trabalhadores (já descontada a inflação do período) teve um crescimento de 0,4% frente a setembro, e de 10,1% em relação a outubro de 2009.

Fonte:
Folha Online

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário