Dólar fecha em baixa ante real com recuperação do euro

Publicado em 18/01/2011 15:52 116 exibições
O mercado de câmbio acompanhou o fortalecimento do euro e das commodities e fechou com queda do dólar nesta terça-feira, em meio à ausência do Banco Central, por ora, das operações no mercado futuro.

A moeda norte-americana recuou 0,30 por cento, a 1,678 real.

Enquanto o mercado brasileiro fechava, o dólar caía 0,36 por cento em relação a uma cesta com as principais moedas, com destaque para o euro, que rondava a marca de 1,34 dólar. O índice Reuters-Jefferies de commodities tinha alta de 0,36 por cento.

A subida do euro ocorreu após o índice de confiança do investidor alemão avançar ao maior patamar em seis meses. Parte do movimento também foi atribuído ao aumento da demanda pela moeda no Oriente Médio e na Rússia.

"O euro hoje está mais forte que o dólar. Só aí o mercado precisa fazer um ajuste", disse José Carlos Amado, operador da corretora Renascença. "E, queira ou não, tem o fluxo (de entrada de dólares)".

Entre as operações de captação de recursos anunciadas nesta terça-feira, a Petrobras prepara a emissão de títulos em dólares de cinco, dez e 30 anos.

Além disso, ofertas de ações em preparação na Bovespa --Arezzo, Tecnisa, Direcional e Sonae Sierra-- devem movimentar cerca de 2 bilhões de reais nas próximas semanas.

Os dados mais recentes sobre o fluxo de câmbio, referentes à primeira semana do mês, indicavam a entrada de pouco mais de 4 bilhões de dólares. O Banco Central atualiza os números na quarta-feira.

Enquanto o dólar caía, a principal dúvida no mercado era sobre a possibilidade de novas intervenções do BC por meio da oferta de swaps cambiais reversos. A operação, que funciona como uma compra de dólar futuro pelo BC, foi feita na sexta-feira pela primeira vez em quase dois anos e operadores tinham expectativa de que fosse repetida nesta terça.

A intervenção do BC nesta sessão se restringiu à compra de dólares por meio de dois leilões no mercado à vista. Foi a primeira atuação dupla desde 6 de janeiro.

Fonte:
Reuters

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário