Secretário Geral da CNBB critica projeto de novo Código Florestal

Publicado em 10/03/2011 09:39 e atualizado em 10/03/2011 10:31 937 exibições
O secretário-geral da CNBB (Conferência  Nacional dos Bispos do Brasil), Dom Dimas Lara Barbosa, lançou críticas ao novo  Código Florestal, que está em discussão no Congresso.

Dom Dimas disse nesta quarta-feira (9) que a CNBB se preocupa com alguns  pontos do texto em tramitação, entre eles a anistia para pessoas que cometeram  crimes ambientais e a redução dos limites ambientais. Ele acrescentou que o novo  código ambiental deveria
tratar com mais respeito as populações ribeirinhas,  povos indígenas e quilombolas.

“Estamos trabalhando para discutir formas alternativas ao relatório [do novo  código]. Nossa preocupação é que não seja votado de forma superficial,  apressada”, afirmou Dom Dimas.

O relator do novo código florestal em tramitação na Câmara, deputado Aldo  Rebelo (PCdoB-SP), admitiu que o texto pode ser aperfeiçoado. Mas ele defendeu  que a proposta atual protege os ribeirinhos e indígenas ao reduzir a área de  preservação ambiental na beira dos rios. Segundo o deputado, pela legislação atual, as populações ribeirinhas são consideradas ilegais.

O deputado defende ainda que a votação não seja adiada. O presidente da  Câmara, deputado Marco Maia (PT-RS), já prometeu colocar o tema em votação até o  fim desse mês.

“Nós não temos pressa. A pressa é dos 5 milhões de pequenos agricultores que  estão na ilegalidade [com a legislação em vigor]“, disse Rebelo.

Campanha da fraternidade – A CNBB lançou nesta quarta-feira  (9) a Campanha da Fraternidade deste ano, cujo tema é preservação ambiental,  contra o aquecimento global. A campanha terá o objetivo de promover o debate  sobre as razões das mudanças climáticas e
suas consequências, como as tragédias  ambientais.

Dom Dimas afirmou  que, na campanha, a CNBB pretende fazer críticas aos setores que contribuem com o aumento do efeito  estufa.

Foram citados o  agronegócio e a geração de energia suja, como petróleo, gás  natural e carvão. Com esse tema, a CNBB também criticará a exploração de  petróleo no pré-sal.

A Campanha da Fraternidade também deve ajudar abordar a educação ambiental  nas comunidades. Dom Dimas citou o exemplo de ensinar a população a não jogar  lixo nas ruas, fazer coleta seletiva de lixo e optar pelo uso de energias mais  limpas, como a solar.

“A campanha da fraternidade tem sido caracterizada pela sua capilaridade, o  que contribui para a penetração do assunto abordado e sua reflexão”, disse Dom  Dimas.

Uma das ações da campanha é a Coleta da  Solidariedade em comunidades, paróquias e dioceses. O dinheiro doado será destinado ao  Fundo Nacional da Solidariedade e ao Fundo Diocesano da
Solidariedade. Um parte  dos recursos será destinada a ajudar as vítimas das chuvas na região serrana do  Rio.

A Coleta da Solidariedade será feita em apenas um dia, marcado para 17 de  abril.
 
Por José Augusto Baldassari Filho:

Para  pensar: As doações feitas  tradicionalmente já a séculos pelo produtor rural  brasileiro são sempre procuradas e bem vindas,apesar de ser  um"dinheiro maldito",produzido pelo sempre
demonizado  agronegócio. Ficamos  por entender!.

Campanha da Fraternidade critica modelo de produção do agronegócio

O aquecimento global e as mudanças climáticas são o assunto da Campanha da Fraternidade 2011, lançada nesta quarta, dia 9. No texto-base, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) expõe as principais conclusões da ciência sobre o tema e a participação humana no problema, faz críticas ao modelo energético que ainda privilegia fontes fósseis, ao desmatamento e ao agronegócio.

Para a CNBB, o agronegócio é um dos principais responsáveis pelo desmatamento.

– O agronegócio vem cada vez mais exercendo pressão para abertura de novas áreas produtivas, ocorrendo inclusive mais desmatamentos. Isso realmente nos preocupa também – afirma Luiz Carlos Diniz, secretário da Campanha Fraternidade.

A proposta de alteração do Código Florestal, em análise na Câmara dos Deputados, também foi criticada. Para a Conferência , o meio ambiente está em risco e, por isso, o assunto deve ser mais discutido antes de qualquer votação.

– Nós nos reunimos com técnicos do Ministério do Meio Ambiente e com representantes dos movimentos sociais para discutir formas alternativas em relação ao relatório. A nossa preocupação é que ele não seja votado de uma maneira superficial, muito apressada, porque as consequências podem ser bastante duradoras e graves – pontua o secretário-geral da CNBB, dom Dimas Lara.

Resposta
O presidente da Câmara dos Deputados, Marco Maia (PT/RS), rebateu a campanha, e diz ‘estranhar’ a cultura de se reclamar quando não se vota ou se apressa uma votação.

– Nosso papel aqui é: primeiro trabalhar para que haja consenso para votar o maior número de matérias na Casa; segundo, fazer com que os principais temas de debate da sociedade venham para dentro do parlamento, sejam discutidos e entrem na pauta de votação da Câmara dos Deputados – disse.

Fonte:
Jornal Floripa + Canal Rural

8 comentários

  • José Roberto de Menezes Londrina - PR

    Defender o meio ambiente é obrigação de todos os seguimentos da sociedade. O município é a menor unidade sócio-política do Brasil. Não seria mais prudente definir o município como base, para estabelecer as unidades de preservação (Parques Municipais) sob a responsabilidade das prefeituras e a colaboração de todos os seguimentos da sociedade. O Código Florestal Brasileiro inclui a criminalização dos produtores de alimentos e a expropriação de terras produtivas dos pequenos agricultores brasileiros, muitos, com renda mensal inferior a um salário mínimo. Portanto, não pode ter o apoio das entidades de classes que defendam os princípios de honestidade e de melhoria da qualidade de vida dos pobres. Onde estão os políticos que se dizem defensores dos pobres, e as entidades de classes que defendem a justiça. Claro, que o projeto do deputado Aldo Rebelo reduz as maldades e as dificuldades criadas pelas CONAMA, ONGs Internacionais e a grande parte dos Deputados e Senadores oportunistas, hoje, aliados aos governos. Todavia, o projeto Aldo Rabelo continua expropriando terras de pobres, criminalizando os produtores de alimentos e proibindo o desenvolvimento das regiões mais pobres do Brasil, portanto é ruim para o Brasil e os brasileiros. Mas, vamos enfrente que faltam apenas 85 dias para a presidenta Dilma Rousseff autorizar a expropriação de terras produtivas de pequenos agricultores brasileiros.

    0
  • Osmar Fernandes Peixoto Uberlândia - MG

    Na minha opinião cada macaco deve ocupar seu galho. O que estão fazendo sobre a reforma do Código Florestal é um terrorismo sem tamanho. Lembro a todos que nenhum país do mundo exige de seus produtores rurais a "reserva legal"(somente o Brasil se tem esse mecanismo). Ou seja, eles podem plantar em qq lugar de sua propriedade, e veem aqui exigir q mantenhamos áreas de mata, etc, etc. Muitos interesses estão em jogo, principal deles: somos competentes na produção de alimentos e poderemos, em breve, sem aumentar área de plantio, ultrapassar todos os países em várias culturas, e tb na criação de animais. A segurança alimentar para os europeus é caso de segurança nacional, eles já passaram por duas guerras mundiais e sabem muito bem o que é ver a população sem alimentos, por esse fato vários países subsidiam seus produtores rurais. Aqui não temos subsidios. Necessitamos, sim de legalizar a situação, e ~quem ler o relatório do Dep Aldo Rebelo vai perceber que nenhuma anistia, ou aumento de desmatamento, favorecimento ao grande proprietário, enfim nada disso está lá. Pelo contrário, está se criando uma legalidade para uma lei que aliás, foi alterada várias e várias vezes, por inumeras portarias de órgãos ambientais, criando um emaranhado de dispositivos ilegais. Visitem o site www.canaldoprodutor.com.br e leiam com atenção a proposta, lá está a verdade.

    0
  • Márcia F.Faria. quintilino mo gi guaçu - SP

    Da mesma forma quanto à Igreja Católica, e a ação dos nossos bispos. Num outro comentário mostramos como o Santo Padre deu um tapa com luva de pelica nesta campanha da fraternidade ecológica, falando em "ecologia do homem", que implica na defesa da vida humana, antes de qualquer outra defesa. Observem porém, a absurda inércia com que se portaram os luminares de nossa Igreja: tomados de uma pusilanimidade inexplicável eles praticamente nada fizeram para evitar as leis do aborto em nosso meio, enquanto saem agora a campo para defender a água, a tartaruga, a vitória régia e o mico leão dourado, na natureza é sua deusa.

    Quantos bispos, por exemplo, saíram em defesa do valente Dom Sobrinho, naquele caso da menina do Nordeste obrigada a abortar? Todos os que se calaram, todos os que nada fizeram, e ai daqueles que combateram aquela firme atitude, hão de enfrentar a Justiça divina, em sua ira máxima. É desfaçatez sem limites propor uma fraternidade da água, quando as crianças de tenra idade estão sendo corrompidas por um governo imundo, que faz do sexo e tudo o que a ele diz respeito, a meta máxima de um processo educativo. Quando crianças são ensinadas nas escolas a se masturbarem desde cedo, clama aos céus que nossa Igreja, volte-te apenas para a deusa gaia, a tal mãe terra, quando o cuidado dela pertence ao seu Criador.

    Pior do que viver esta política de avestruz, que finge atividade e canta loas em cima do que é inócuo, é saber que dentro de poucos meses o mundo inteiro estará envolvido na mais tremenda das tribulações, porque os guias cegos são incapazes de ver o principal, o único que interessa a Deus que são as nossas almas. Ou seja: aquilo que o articulista acima afirma ser um ataque do comunismo e da besta contra a Igreja, acontece dentro dela mesma, pois quando um bispo combate outro, por combater o demônio, tem dentro da própria casa uma serpente, não precisa buscá-la entre os inimigos declarados.

    Pois bem: se os homens e mulheres de bem se calam diante do mal que avança, não resta a Deus outra alternativa senão permtir que todo o planeta seja varrido por uma tsunami como esta que aconteceu no Japão. Isso virá em breve, porque Deus já não suporta mais tanto cinismo, tanta incúria, tanta desfaçatez, e principalmente em ver sua casa sendo transformada num covil de ladrões de almas.

    É por isso que em breve, muito em breve, antes que os responsáveis tenham tempo de respirar, virá o Dilúvio, e levará a todos. Jesus profetizou assim, e assim será!

    Aarão

    Ai está um comentario cheios de verdades . para esta campnha absurda

    muitos sites que ja entrei vi elogios de pessoas , professores dizendo que vai ensinar isso na escola...

    hj aplaudem esta infamia, amanha choram quando a alma estiver em perigo.

    Rezemos por estes bispos para que acordem , e que Deus tenha piedade de nós.

    0
  • Lino Gaspar Rocha Aguiar Rio Paranaíba - MG

    Quero deixar uma resposta teologica para a CNBB. " Quando São Paulo levava ao mundo pagão a boa nova, ele encontrou um jovem, chamado Timóteo, que ele o amou como um filho.Paulo o avisou na sua última carta, pouco antes da sua sentença de morte, sobre estes tempos díficeis. - O ESPIRITO SANTO DISSE EXPRESSAMENTE QUE NOS ÚLTIMOS TEMPOS ALGUNS NEGARÃO A FÉ , DANDO OUVIDOS A DOUTRINAS DIABOLICAS, QUE IMPEDIRÃO O CASAMENTO ( CONTROLE DA NATALIDADE) E O USO DOS MANJARES QUE DEUS FEZ PARA OS FIES ( FALSA ECOLOGIA).TIMOTEO 1,4 Naquele tempo não havia sinomino para o sexo sem concepção , nem da proibição do homem de apropriar do meio ambiente, essas foram as palavras para definar as barbaries atuais. Eis ai o reverso da medalha da vontade divina, CRESCEI E MUTIPLICAI E DOMINAI A TERRA , EU VOS DOU TUDO POR ALIMENTO. Agora me vem a CNBB, e diz, não apropriem do meio ambiente, não deixando espaço para o homem este não pode multiplicar. É lamentavel a postura da CNBB.

    0
  • Almir José Rebelo de Oliveira Tupanciretã - RS

    Eu já havia alertado o João Batista e aos nossos amigos do site sobre mais esse absurdo que a Igreja Católica se submete. Esses Bispos precisam ser processados, responsabilizados pelos escândalos verbais e desastres ambientais que estão cometendo. Vejam o desrespeito com as mulheres com essa coisa que não sei se é lema ou tema da Campanha da Fraternidade: "A NAUREZA GEME DORES DE PARTO". Achar que deslizamentos que sempre existiram, chuvas, secas.... são gemidos da natureza além da afronta as Mulheres como se Parto é uma catástrofe, beira a insanidade. Senhores Bispos imbecis! Parto significa vida! E Deuas deu esse Dom, ás mulheres. Já pensaram as jovens que já não querem ir mais a Igreja chegarem lá e ouvirem que a natureza geme dores de parto, será que vão querer ter filhos, procriar conforme disse Deus no Gênesis... Essa é mais uma prova de que nossa Soberania está agonizando! As ONGs mandam no ministério do Meio Ambiente e outros, também mandam na CNBB, usar a igreja para se posicionar contra o Código Florestal atingindo os produtores que estão produzindo alimentos para encher a barriga deles, dessa máfia traidora é demais. Em Tupanciretã grande parte do Dísimo vem da Soja Transgênica. Mas a igreja esqueceu que essa era a semente da morte! Será que as drogas, a fome, a miséria, o desemprego, a corrupção,....não são gemidos da natureza? Vou parar por aqui correndo o risco de ser excomungado! Mas será que estou cometendo algum pecado?

    Abraços.

    Almir Rebelo

    0
  • Telmo Heinen Formosa - GO

    Para todos que quiserem perguntar à CNBB se acreditar em mentiras é pecado ou não, aqui vão os principais e-mail's de lá! Não vale OFENDER:

    Imprensa: [email protected] Politica: [email protected]

    Sub Secretário: [email protected] e Campanha da Fraternidade: [email protected] Assunto: Acreditar em Mentiras não é pecado? Eles sempre vem com aquela conversa de "Deus, perdoai aos pobres de espírito"...

    0
  • Telmo Heinen Formosa - GO

    Os seres humanos são dividos em dois grandes grupos: os quantitativos e os verbais. Os primeiros são bons em números, e os segundos, hábeis na fala, entre eles os Padres. É a grande divisão do ensino: exatas versus humanas, clássico versus científico. Os bons de fala irão tornar-se advogados, jornalistas, sociólogos, economistas governamentais, políticos, padres ou pastores de igreja. Tendem a ser românticos e de esquerda, a acreditar na autoridade da palavra e nas soluções de cima para baixo. Os bons em números irão tornar-se engenheiros, cientistas, químicos, empresários, contadores, administradores. O Brasil forma muito mais economistas, jornalistas, advogados, padres, sociólogos etc... do que engenheiros, quando no Japão a relação é oposta a esta e é de 100 para 1. Os jornalistas, sociólogos e os economistas governamentais falam na mesma frequência dos políticos e são, por isso, seus principais assessores. Empolgam os políticos pelo discurso e pela visão utópica de que podem consertar o mundo de cima para baixo. Sua visão é lírica como a de um poeta, e foi justamente nas últimas gestões presidenciais que os economistas governamentais mais influência tiveram e os mesmos foram endossados pelos jornalistas que assim se deixaram encantar. Precisamos deixar de ser platéia e ouvir menos os sociólogos, economistas e políticos, e aí se inclui a imprensa, e ouvir mais as outras profissões. Temos que dar um apeia nestes padrecos, estão tão atrasados que ainda acreditam no tal de Aquecimento Global que é uma falácia destinada a causar o abobalhamento midiático vigente. Credo!

    0
  • Dodson Martins de Lima Rondonópolis - MT

    Nossa quando vejo essas conclusões demagogas da CNBB, vejo que a igreja que participo e sou batizado e uma farça!!! esta preocupada com a fome no mundo e no Brasil , mais ao mesmo tempo vem criticar quem da o alimento e produz o alimento barato para esses pobres meseraveis.... Como se produz arroz,carne,soja, cafe, etc... sem abrir areas? sera possivel plantar em cima de uma copa de arvore? ano passado a campanha era criticar os ricos que tem posses e dinheiro, mais venha e me diz a igreja da a sua fortuna aos pobres? pois quando tem uma festinha na igreja eles não vão nos pobres, nos indiginas nos quilombolas nos ribeiros pedir donativos.... vão no fazendeiro para doar uma novilhinha para bingos, prendas no comercio da cidade.... quando vai arrumar a igreja pede doações e muitos mais!! acho que a igreja tinha que fazer o seu papel que é levar a palavra de Deus e não de fazer politicas Demagogas.... cada vez mais decpecionado , por isso os evangelicos cresceu muito nos ultimos anos!!! e parabens ao debutado Aldo Rabelo que continua firme no seu propozido!! aguardo ancioso a votação do novo codigo para sair da ilegalidade!!!!!!!!!!

    0