Ministro intervém e Embrapa vai retomar serviço de gestão territorial estratégica

Publicado em 18/03/2011 09:50 396 exibições
Wagner Rossi, da Agricultura, determinou ontem a recomposição do serviço de gestão territorial estratégica, ameaçado de desmonte pelo órgão.
O ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Wagner Rossi, determinou ontem a recomposição do serviço de gestão territorial estratégica, ameaçado de desmantelamento pela atual administração do Centro de Monitoramento por Satélite (CMS) da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) em Campinas.

Entre os clientes do núcleo de Gestão Territorial Estratégica (GTE) estão os Ministérios da Agricultura, do Planejamento, órgãos da Presidência da República e organizações da sociedade. O desmonte, denunciado pelo Estado, culminou com a destituição do então supervisor do GTE, Claudio Spadotto, e de sua equipe, na semana passada.

Rossi disse ao Estado ter determinado que nenhuma outra providência seja tomada nessa área sem que ele seja consultado antecipadamente.

"Avoquei a continuidade do assunto e determinei ao presidente da Embrapa (Pedro Arraes) para levantar e me apresentar todos os dados, inclusive as informações trazidas pelo Estadão." O ministro contou ter recebido muitas manifestações de usuários do núcleo preocupados com a descontinuidade dos serviços. "Posso garantir que não haverá descontinuidade, pois aqui no ministério consideramos de extrema importância esse trabalho. Como existe certa divergência de opinião entre membros e pesquisadores da área, dei um prazo muito curto para que o pessoal tome nova atitude de entendimento."

O ministro confirmou ter tem nas mãos a minuta de uma proposta para reinstalar a unidade como um núcleo desvinculado do CMS e com mais autonomia. O projeto está em estudo, mas Rossi pretende ainda dar oportunidade ao atual gestor para que providencie o retorno do GTE à situação anterior.

Intervenção. A intervenção do ministro agradou a diretora executiva da Associação Brasileira do agronegócio de Ribeirão Preto (Abagrp), Monika Bergamaschi. "O GTE possui um raro grupo de pesquisadores da mais alta capacidade, analistas e colaboradores que alavancam sua capacidade de atuação. Por sua relevância e importância, a Abag deseja que ela continue oferecendo à sociedade respostas e soluções para os desafios do agronegócio brasileiro."

O diretor da Agência Nacional das Águas (ANA), Vicente Andreu Guillo, que foi surpreendido pela notícia do desmanche do GTE quando já discutia a contratação de um serviço para o mapeamento das áreas com risco de inundações em todo o País, elogiou a posição do ministro. "Já havia utilizado os serviços do núcleo quando atuava na prefeitura de Campinas, por isso fiquei surpreso."

Ele contou que, ao assumir a agência, percebeu a necessidade de produzir um atlas da vulnerabilidade para inundações em grandes extensões, a fim de planejar ações preventivas. "Estávamos numa conversa inicial e fico feliz se ainda pudermos contar esse serviço da Embrapa", afirmou.

Fonte:
Sociedade Rural Brasileira

0 comentário