Governos de Brasil e Argentina selam acordo e acabam com impasse comercial

Publicado em 20/05/2011 09:55 472 exibições
Detalhes serão definidos durante reunião na semana que vem.
O governo argentino deve liberar, gradativamente, a entrada de calçados, pneus e baterias no país. Em troca, o Brasil vai facilitar a entrada de carros importados do país vizinho. O acordo foi feito na manhã desta quinta, dia 19, com autoridades brasileiras e argentinas.  Mais de 200 produtos da indústria gaúcha encontram dificuldade para ingressar naquele país.

Parlamentares e prefeitos gaúchos se reuniram em Brasília com representantes do governo federal. Desde janeiro, a Argentina tem dificultado a entrada de calçados, equipamentos agrícolas e alimentos no país, setores que atingem diretamente a indústria gaúcha.  O governo federal se comprometeu a levar em conta nas negociações a situação de cada setor afetado.

– A reunião foi ótima, estamos confiantes. Essas reuniões com cada setor vão ajudar muito – disse Gilda Kirsch, prefeita de Parobé (RS).

Antes do encontro, um telefonema entre autoridades dos dois países deu início à solução para o impasse. Ficou pré-definido que a Argentina vai, aos poucos, liberar a entrada de calçados, pneus e baterias. Ao mesmo tempo, o ingresso no Brasil de carros fabricados no país vinho será facilitado. Os detalhes serão definidos durante reunião na semana que vem na Argentina.

O secretário-executivo do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Alessandro Teixeira, disse que as demandas gaúchas serão levadas ao governo argentino.

– Eu estarei levando algumas questões, como a do arroz, e como a questão do problema que tivemos com máquinas e equipamentos, e ver o que podemos fazer daqui para a frente – afirmou Alessandro.

O deputado federal Jerônimo Goergen (PP-RS) confirmou que acompanhará a comitiva até Buenos Aires.

– Vamos integrar a comitiva do governo brasileiro na semana que vem, na agenda de Buenos Aires, onde todos esses temas que foram tratados aqui serão tratados com o governo argentino – garantiu o deputado.

Fonte:
Canal Rural

0 comentário