Standard & Poor's rebaixa nota de crédito da Itália e mercado reage negativamente

Publicado em 23/05/2011 12:10 491 exibições
A agência de classificação de risco Standard & Poor's (S&P) rebaixou no sábado a perspectiva de crédito da Itália para "negativa", ante "estável", citando débil projeção de crescimento e menores possibilidades de que o país consiga reduzir sua grande dívida. A revisão para baixo, que aumenta o risco de um corte na classificação da dívida soberana da Itália, pode aumentar os temores de que o contágio da crise da dívida grega e de outros países europeus chegue à terceira maior economia da zona do euro. A S&P manteve as classificações de crédito soberano "A+" de longo prazo e "A-1+" de curto prazo.

Itália reage à alerta da S&P sobre perspectiva de crédito

O governo italiano reagiu rispidamente à mudança de perspectiva para o pagamento da dívida soberana da Itália promovida pela agência de classificação de risco Standard & Poor´s, que passou sua avaliação de "estável” para “negativa”.

Neste final de semana, o ministro de Economia e Finanças italiano, Giulio Tremonti, classificou a alteração como “estranha”, ressaltando que a decisão da agência não apresenta “sequer um exemplo de declínio na economia ou nas finanças públicas para justificar o rebaixamento de perspectiva”.

A S&P alegou dúvidas quanto à capacidade do país em honrar seus compromissos diante de projeções de crescimento fracas. A agência ressaltou que o comprometimento político para reformas estruturais parece estar enfraquecendo, o que torna a situação do país ainda mais delicada.

No sábado, o Tesouro italiano divulgou uma nota em que afirma que a “Itália tem sido e continuará sendo um país com recursos econômicos e políticos necessários para honrar seus compromissos”.

Europa preocupa e promove mais de 1% de queda nas bolsas de NY

Os principais indicadores das bolsas de Nova York abriram a semana em forte queda, refletindo o desconforto dos investidores frente às revisões na avaliação de risco de Grécia e Itália pelas agências Fitch e Standard & Poor´s (S&P) e ao resultado das eleições regionais na Espanha.

Já nos primeiros minutos de pregão, o índice Dow Jones recuava 1,37%, para 12.341,00 pontos, enquanto o S&P 500 tinha retração de 1,40%, aos 1.314,55 pontos. O índice Nasdaq baixava 1,39%, para 2.306,90 pontos.

A Fitch rebaixou a nota de crédito da dívida grega de longo prazo em três níveis e a S&P alterou de “estável” para “negativa” a perspectiva de crédito da Itália. Na Espanha, o Partido Socialista, do premiê José Luis Rodrígues Zapatero registrou seu pior resultado em eleições municipais, ampliando as dúvidas do mercado quanto à força do governo para promover os ajustes necessários para evitar uma piora na já delicada situação econômica do país.

As ações das petrolíferas Chevron e Exxon Mobil recuam 1,37% e 1,19% com a queda nos preços do petróleo no mercado de futuros.

Fonte:
Valor Online

0 comentário