ONU revisa crescimento do PIB mundial para cima em 2011

Publicado em 26/05/2011 08:42 518 exibições
A economia mundial crescerá 3,3% em 2011 e até 3,6% em 2012, conforme os dados revisados para cima e divulgados nesta quarta-feira pela Organização das Nações Unidas (ONU), que também afirma que a alta será liderada pelos países em desenvolvimento.

"A recuperação econômica continuará liderada pelas grandes economias da Ásia e da América Latina, especialmente as da China e do Brasil, embora elas também estejam sendo moderadas pelas pressões da alta dos preços e a inflação", indicou nesta quarta-feira o Departamento de Análise de Assuntos Econômicos e Sociais da ONU.

Na revisão de seu relatório intitulado "Situação e Perspectivas da Economia Mundial em 2011", os analistas da instituição aumentaram ligeiramente suas previsões sobre a evolução do Produto Interno Bruto (PIB) mundial de 3,1% para este ano e 3,5% para 2012 que previram há seis meses.

Por regiões, as economias desenvolvidas como as da Europa Ocidental terminarão este ano com "crescimento modesto e desigual", segundo os analistas da ONU, que preveem uma progressão média para a eurozona de 1,6% do PIB para 2011 e 2012.

Também advertem que enquanto a Alemanha crescerá 2,9% este ano, "os países mais afetados pela crise fiscal, como a Grécia, Irlanda, Portugal e Espanha seguirão em recessão ou, no melhor dos casos, registrarão baixas taxas de crescimento".

Com relação aos Estados Unidos, os economistas da ONU preveem que sua economia se situe em 2,5% este ano e em 2,8% no seguinte, enquanto a do Japão, afetado pelo terremoto e posterior tsunami de março, crescerá 0,7% em 2011 e 2,8% em 2012.

A respeito das economias em desenvolvimento dos países da região da América Latina e o Caribe, a previsão da ONU é que seu crescimento médio seja de 4,5% em 2011 e de 4,9% em 2012, o que representa uma queda de um ponto, contra 5,9% no ano passado.

"As economias centro-americanas se recuperaram em 2010, mas suas perspectivas para 2011 são frágeis, devido em parte porque são importadores líquidos de alimentos e energia", indicaram os analistas.

Com relação ao sudeste asiático, o crescimento dessa região será liderado pelos progressos da China e Índia, sendo sua média de crescimento de 7,3% em 2011 e de 7,2% para 2012, frente à média de 9,1% do ano anterior.

Fonte:
EFE

0 comentário